João Fialho conquista título de Culturismo

João Fialho conquista

João Fialho, natural de Moura e a viver em Beja, garantiu o título nacional de Culturismo, na modalidade Men’s Physique, na sua estreia em competições do género.
“Não fazia ideia que poderia ganhar dada a qualidade e experiência de alguns atletas que competiram comigo. Não sou do tipo que ‘entra para participar’. Gosto de dar o meu melhor e sou exigente comigo, mas apesar de tudo isto, visto que seria a minha estreia, fiquei realmente surpreso”, revela ao “CA” o atleta de 26 anos.
Antes de chegar ao título nacional, João Fialho foi segundo classificado no Regional Sul, em Évora. Depois, diante dos melhores do continente e ilhas, foi campeão nas categorias de até 1,74m e Absolutos (que reúne os vencedores das diversas categorias).
Mas até garantir o estatuto de melhor culturista de Portugal João Fialho suou estopinhas. E tudo sem ajuda de qualquer treinador.
“Tracei as minhas fases de treino antecipadamente e coloquei em prática aquilo que programei”, explica João Fialho, que em matéria de alimentação teve a ajuda da nutricionista Rita Mestre.
“Preferi deixar esta questão para quem realmente percebe e estudou para isto. Trata-se de uma pessoa realmente muito competente e há que dar o valor a quem merece”, revela.
Garantido o título, João Fialho já pensa em novas conquistas. A grande ambição é ganhar novas provas em Portugal e chegar a competições internacionais.
“Mas a questão dos patrocínios é muito importante, pois trata-se de uma modalidade muito dispendiosa, e apesar de ser o campeão nacional ainda não tenho nada muito certo relativamente a esta temática. Vamos ver o que o futuro me reserva”, diz apenas.

Treinar todos os dias
João Fialho nasceu em Moura há 26 anos e licenciou-se em Desporto no Instituto Politécnico de Beja. É na capital do Baixo Alentejo que trabalha como personal trainer, além de ser membro da equipa MCO  –  My Coach Online. A participação em provas de culturismo surgiu pelo seu gosto pelo treino e pelo culto do corpo.
“Decidi que estaria na altura de medir forças com outros atletas que partilhassem a mesma paixão do que eu”, revela.
“Decidi também entrar em competições para testar os meus conhecimentos, pois fui e sou o meu treinador. Julguei que deste modo poderia obter mais conhecimento e valorizar-me mais na minha área profissional”, acrescenta.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima