Intercidades em Beja: ADPB decide não boicotar as eleições presidenciais

Intercidades em Beja: ADPB decide não boicotar as eleições presidenciais

A Associação de Defesa do Património de Beja decidiu não boicotar as presidenciais, em protesto contra o eventual fim das ligações directas de comboio Intercidades entre Beja e Lisboa, por considerar que “não seria a estratégica mais adequada”.
Na terça-feira, a associação admitiu boicotar as eleições presidenciais de domingo, apelando à abstenção ou ao voto em branco, uma ideia que tinha sido proposta num encontro realizado no dia anterior, em Beja, para debater a intenção da CP de acabar com as ligações directas de comboio Intercidades entre Beja e Lisboa.
Entretanto, a associação e alguns dos participantes no encontro analisaram a ideia e decidiram “não fazer o boicote”, porque “não seria a estratégica mais adequada”, explicou hoje à agência Lusa o presidente da associação, Florival Baiôa.
Por outro lado, frisou, a associação “não quer que o movimento” de protesto contra a intenção da CP e em defesa das ligações directas de comboio Intercidades entre Beja e Lisboa, que está a liderar, “seja confundido com aspectos políticos e partidários”.
Segundo Florival Baiôa, a associação vai manter as outras iniciativas decididas no encontro, ou seja, o lançamento de uma petição pública e a organização de uma concentração.
A petição de rua, que será enviada à Assembleia da República, vai ser lançada domingo, dia em que “várias pessoas vão andar a recolher assinaturas junto dos locais de voto”, e a concentração irá decorrer na próxima quarta-feira, a partir das 17:30, junto à Estação da CP em Beja, explicou.
Além das iniciativas da associação, o eventual fim das ligações directas de comboio Intercidades entre Beja e Lisboa já motivou reacções da Direcção da Organização Regional de Beja do PCP e de deputados do PSD e do PS.
Dez deputados do PCP apresentaram um projecto de resolução a defender a manutenção do serviço Intercidades entre Lisboa e Évora e Lisboa e Beja, que foi votado no Parlamento no dia 14 e rejeitado com os votos contra do PS e a abstenção do PSD e do CDS.
A Assembleia Municipal de Beja convocou hoje uma reunião extraordinária para a próxima quarta-feira, às 21:00, no auditório da Biblioteca Municipal de Beja, para “discussão e análise dos desenvolvimentos recentes sobre as intenções da CP referentes às ligações ferroviárias a Beja”.
Em declarações à Lusa, a directora de comunicação da CP Ana Portela disse na segunda-feira que “ainda não há uma decisão definitiva” sobre as ligações entre Beja e Lisboa.
Num esclarecimento enviado à Lusa no passado dia 06, a CP explicava que propôs um novo modelo de exploração da Linha do Alentejo aos autarcas das populações abrangidas pelo troço entre Casa Branca e Beja.
De acordo com o modelo, o serviço passará a ser feito através de automotora diesel entre Beja e Casa Branca, onde será feito transbordo para automotora eléctrica até Lisboa.
O serviço ferroviário Intercidades (de Lisboa a Évora e a Beja) e o regional Lisboa-Casa Branca da Linha do Alentejo estão suspensos devido a obras da REFER no troço Bombel/Vidigal-Évora que vão decorrer até Maio deste ano.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima