Grupo de trabalho do Governo para o aeroporto de Beja avança “nos próximos dias”

Grupo de trabalho do Governo para o aeroporto de Beja avança “nos próximos dias”

Depois de anunciado em Dezembro de 2011 pelo secretário de Estados dos Transportes, o grupo de trabalho que vai analisar e avaliar o futuro do aeroporto de Beja deve finalmente “avançar nos próximos dias”, adianta ao “CA” o deputado do PSD eleito por Beja.
Mário Simões reuniu na passada semana com membros do gabinete de Sérgio Monteiro e ficou a saber que o despacho de nomeação e constituição do grupo já está elaborado, sendo que este deve incluir a Força Aérea Portuguesa, em representação do Ministério da Defesa.
“Estando a decorrer as negociações entre os governos português e sul-coreano [relativamente à Base Aérea 11, em Beja], faz todo o sentido que o grupo de trabalho possa ser reforçado com este elemento”, vinca Simões, adiantando que o grupo de trabalho será presidido por um representante do Governo e contará também com elementos da ANA – Aeroportos de Portugal, da Turismo do Alentejo, da Associação de Municípios do Baixo Alentejo e Alentejo Litoral (Ambaal) e do Nerbe.
“Parece-me que há aqui uma composição bastante interessante e representativa das entidades que estão directamente ligadas ao processo de criação do aeroporto”, sublinha o deputado social-democrata, que espera que o futuro grupo de trabalho “tenha uma atitude responsável” sobre a rentabilização do aeroporto baixo-alentejano.
Por isso mesmo, Simões deseja que este grupo de trabalho “deixe as lógicas político-partidárias de lado, que analise a questão com base em questões de ordem financeira ao nível da sua viabilidade e também em termos da sua operacionalidade”.
Sobre a demora na constituição do grupo de trabalho (cerca de cinco meses), bastante contestada por diversas figuras/ instituições da região, o deputado do PSD entende que esta “é totalmente aceitável e justificável”, até porque, “como diz o povo, ‘Roma e Pavia não se fizeram num dia’”.
Além do mais, Simões lembra que neste período de tempo houve mudança de presidência na Ambaal (o comunista José Maria Pós-de-Mina rendeu o socialista Jorge Pulido Valente) e surgiu o interesse sul-coreano por Beja, tanto na componente militar como na parte civil.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima