Exposição mostra "relação" de Mértola com rio Guadiana

Exposição mostra "relação"

Peças inéditas que ilustram a relação histórica entre Mértola e o Guadiana estão a partir deste sábado, 26, na nova sala de exposições temporárias do castelo local.
A exposição "No extremo do al-Ândalus. Mértola e o Guadiana", da autoria da investigadora e arqueóloga Susana Gómez Martínez e organizada pelo Campo Arqueológico e pela Câmara de Mértola, é inaugurada às 18h00 desta sexta-feira, 25, e vai estar patente ao público a partir de sábado e até ao dia 28 de Setembro.
Segundo o Campo Arqueológico de Mértola, a exposição é composta por peças inéditas, de todas as épocas, do espólio do Museu de Mértola, as quais ilustram a "relação histórica entre a vila e o seu rio".
A exposição, pela sua vocação itinerante, foi pensada para ser exibida em outras localidades de Portugal e Espanha, sobretudo nas situadas nas margens do rio Guadiana, e as legendas e os textos explicativos das peças estão em português, espanhol e inglês.
Após a cerimónia de inauguração, Susana Gómez Martínez fará uma visita guiada e apresentará o catálogo da exposição, que inclui um documentário com o mesmo título da mostra e que foi realizado por Germano Vaz.
A exposição "No extremo do al-Ândalus. Mértola e o Guadiana" é a primeira a estar patente ao público na nova sala de exposições temporárias do castelo de Mértola, que foi criada no âmbito do projecto de musealização do interior do monumento.
Segundo o Município, o projecto, que implicou um investimento de 382 mil euros, permitiu também valorizar as acessibilidades, a protecção e a consolidação do interior do castelo e instalar, nas duas salas da torre de menagem, uma exposição sobre a história do monumento e a Ordem de Santiago, que teve a sua primeira sede nacional na vila.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima