Estação dos CTT em Ervidel já fechou

Estação dos CTT

Os serviços de correio em Ervidel são prestados desde segunda-feira, 27, por um parceiro dos CTT, após o fecho da estação local, medida contestada pela Junta de Freguesia.
Fonte oficial dos CTT explicou à Agência Lusa que a Estação de Correios de Ervidel fechou na passada sexta-feira, 24, e os serviços foram transferidos e começaram a ser prestados num novo posto de Correio, situado "a 100 metros" da estação e "explorado" por um parceiro da empresa.
"Hoje fomos surpreendidos com a não abertura da Estação de Correios", disse à Lusa o presidente da Junta de Freguesia de Ervidel, Manuel Nobre, referindo que os CTT tinham afixado na sexta-feira, naquelas instalações, "um cartaz a dizer que os serviços postais iriam funcionar numa mercearia, mas não era referido que a estação iria encerrar".
"É incrível, porque trata-se do encerramento de uma estação de correios que irá obrigar muitos idosos a deslocarem-se a Aljustrel ou a Beja para tratar de questões que eram tratadas na estação", disse o autarca.
Por outro lado, "é o próprio administrativo que estava a trabalhar na estação de correios que hoje está a prestar o serviço de correios na mercearia", contou o autarca, classificando a situação como "caricata" e um reflexo da "cegueira dos CTT em encerrar estações".
"A população e a Junta de Freguesia de Ervidel estão contra e não compreendem" o fecho da estação e vão "continuar a lutar por um serviço público de correios", disse Manuel Nobre, referindo que uma comitiva deverá deslocar-se "ainda esta semana" a Lisboa para entregar um abaixo-assinado à administração dos CTT.
Num comunicado enviado à Lusa, os CTT estimam que o impacto da transferência dos serviços prestados pela Estação de Correio de Ervidel para o novo Posto de Correio será "nulo" para a população e referem que "todos os serviços postais" vão continuar "disponíveis a 100%, incluindo os pagamentos de vales de prestações sociais, a cobrança de facturas e a recepção de objectos registados e encomendas".
"Mas há serviços, como a renovação da carta de condução, que não vão poder ser tratados em Ervidel", disse o autarca, referindo que "há questões de sigilo e de privacidade que podem estar em causa" com o serviço prestado por um parceiro dos CTT.
Segundo os CTT, a transferência "em nada afecta a normal distribuição feita pelos carteiros", que será "garantida todos os dias, nos mesmos moldes, com os mesmos giros e pelos mesmos profissionais".
Por outro lado, informam os CTT, a transferência não implica qualquer perda de postos de trabalho", porque "os trabalhadores colocados em Ervidel continuarão a exercer a sua actividade noutras estações de correio".

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima