Empresa Águas do Alentejo deve juntar-se à homóloga do Algarve

Empresa Águas do Alentejo deve juntar-se à homóloga do Algarve

As 19 empresas concessionárias de abastecimento e tratamento de águas residuais do grupo Águas de Portugal (AdP) espalhadas pelo país deverão dar lugar a quatro, disse à Agência Lusa Manuel Frexes, administrador da AdP.
Segundo o plano "já aprovado pela tutela", haverá uma única empresa a Norte, outra no Centro e outra ainda no Algarve, para a qual foi convidada a região do Baixo Alentejo.
A maior empresa vai estender-se da Beira Interior (actual Águas do Zêzere e Côa) a Lisboa (englobando a EPAL), abraçando vários sistemas multi-municipais e ainda o norte do Alentejo, por forma a "incluir população suficiente para harmonizar as tarifas", justificou Manuel Frexes.
A fusão das empresas do grupo faz parte da estratégia de harmonização tarifária da AdP, segundo a qual, a partir de 2013, a factura da água vai ser gradualmente igual para todo o país.
Segundo revelou Manuel Frexes à Agência Lusa, a factura deverá passar a custar entre 2,5 a três euros por metro cúbico.
A reestruturação do grupo pretende "reduzir custos e racionalizar o grupo", mas também "dar solidez e dimensão para cativar capital".
No entanto, Manuel Frexes assegurou que as águas "nunca serão privatizadas".
Poderá haver participação de privados, "mas através de sub-concessões nas quatro regiões", ou seja, os meios nunca serão alienados, garante.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima