Empresa do Aeroporto de Beja (EDAB) vai ser extinta nesta quinta-feira

Empresa do Aeroporto de Beja (EDAB) vai ser extinta nesta quinta-feira

A Assembleia-Geral da Empresa de Desenvolvimento do Aeroporto de Beja (EDAB) reúne quinta-feira para discutir e aprovar a extinção da empresa, que já cumpriu a sua missão de construir a infra-estrutura aeroportuária alentejana.
“Haverá uma proposta de extinção da empresa, apresentada pelo accionista maioritário, o Estado, que vai ser discutida e aprovada”, disse hoje Jorge Pulido Valente, presidente da Associação de Municípios do Baixo Alentejo e Alentejo Litoral (AMBAAL), que é accionista minoritário e preside à Assembleia-Geral da EDAB.
O também presidente da Câmara de Beja frisou à agência Lusa que a decisão de extinguir a EDAB é “incontornável” e será aprovada, porque o Estado, que vai apresentar a proposta, é accionista maioritário e, por outro lado, “todos os accionistas concordam” com o fim da empresa.
“O mais importante, na reunião, é decidir definitivamente a extinção da EDAB e que o Estado assuma que vai avançar rapidamente com a liquidação da empresa e preste informações sobre os passos seguintes do processo”, disse.
A reunião decorre a partir das 12h00, na Associação Empresarial do Baixo Alentejo e Litoral (NERBE/AEBAL), outro dos accionistas, sendo o Estado representado por Mário Carrega, da Direcção-Geral do Tesouro e Finanças.
Também em declarações hoje à Lusa, o presidente da EDAB, José Queiroz, lembrou que a empresa devia ter sido extinta em 2009, quando terminou a construção do aeroporto de Beja e o Governo, através de despacho, atribuiu a exploração do aeroporto à ANA – Aeroportos de Portugal.
Segundo José Queiroz, a construção do aeroporto de Beja, que custou “cerca de 3,5 milhões de euros”, começou em Abril de 2007 e terminou no final de 2009, mas o auto de recepção provisória da última empreitada, que marcou o fim oficial da obra, foi assinado “em meados de 2010”.
O aeroporto começou a operar a 13 de Abril deste ano, quando se realizou o voo inaugural até Cabo Verde, e recebe, desde 22 de Maio e até 16 de outubro, aos domingos, os voos da sua primeira operação comercial “charter”, que liga semanalmente Londres e Beja.
A EDAB, criada em 2000 para construir o aeroporto, é detida em 82,5 por cento pelo Estado, sendo o restante capital social dividido por outros seis accionistas, de entre os quais a AMBAAL, que detém 10 por cento.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima