Deputado do PS garante apoios à fileira do porco alentejano

Pedro do Carmo 1
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O deputado do PS eleito por Beja, que é também presidente da Comissão Parlamentar da Agricultura e Mar, promoveu reuniões com representantes do sector pecuário e procedeu a um conjunto de iniciativas que permitiram a disponibilização de um sistema de apoio às raças autóctones, caso do porco alentejano, no âmbito da pandemia.
Em comunicado enviado ao “CA”, Pedro do Carmo lembra que a pandemia “está a provocar relevantes impactos negativos no escoamento da produção da fileira do porco alentejano, em especial, nas vendas para o mercado espanhol tradicionalmente comprometido com a aquisição dos produtos de excelência da produção regional em regime de montanheira”.
Segundo o deputado do PS, o apoio agora garantido visa “mitigar os impactos negativos da ausência dos mesmos níveis de procura dos animais, procurando gerar um ambiente que permita a sustentabilidade das produções e das empresas, de modo a salvaguardar a capacidade produtiva do Mundo Rural de produtos diferenciadores e com grande potencial de exportação”.

É importante “manter uma vigilância de proximidade e uma intervenção sustentada que permita responder ao essencial do presente e acautelar o futuro da fileira do porco alentejano” e “manter a capacidade produtiva” do Mundo Rural.

Pedro do Carmo | deputado do PS eleito por Beja


“A par deste impulso de apoio às raças autóctones, orientado para a produção já concretizada, também têm sido desenvolvidas iniciativas para a existência de soluções no quadro do sistema bancário de conforto aos criadores que permita a acomodação da redução das vendas actuais e a capacidade para lançar um novo ciclo de produção na lógica do pós-pandemia ou do reforço da procura dos produtos de excelência dos territórios rurais nacionais”, acrescenta Pedro do Carmo.
O deputado socialista frisa ainda que, “num quadro de grande exigência e forte limitações impostas pela Covid-19”, é importante “manter uma vigilância de proximidade e uma intervenção sustentada que permita responder ao essencial do presente e acautelar o futuro da fileira do porco alentejano” e “manter a capacidade produtiva” do Mundo Rural.

Opinião

Carlos Pinto

7 de Janeiro, 2022

O direito de poder ir votar!

Vitor Encarnação

7 de Janeiro, 2022

Fogo de artifício

Carlos Pinto

17 de Dezembro, 2021

2022: Que ano está para vir?

Napoleão Mira

17 de Dezembro, 2021

Necas – Um Ladrão Improvável

Carlos Pinto

3 de Dezembro, 2021

Rio e a derrota das “elites”

Vitor Encarnação

3 de Dezembro, 2021

As rugas do desejo

Anterior
Seguinte

EM DESTAQUE

ULTIMA HORA

Role para cima