Cooperativa TAIPA (Odemira) quer ser sustentável

Cooperativa TAIPA (Odemira) quer ser sustentável

Garantir a sustentabilidade económica e financeira da instituição após 2013, ano em que previsivelmente acabam os apoios comunitários enviados de Bruxelas para Portugal, é a principal prioridade da TAIPA – Organização Cooperativa para o Desenvolvimento Integrado do Concelho de Odemira, fundada há uma década.
“Não é nossa intenção que a TAIPA acabe quando acabarem os quadros comunitários. Temos de saber existir além de 2013 e vamos ter de inventar formas para isso. Mas alguém vai ter que nos ajudar e estamos a contar com a ajuda de todos”, confidencia ao “CA” a presidente da TAIPA, Telma Guerreiro, lembrando que a vontade da instituição em ser sustentável “tem vindo a ser trabalhada desde há algum tempo”.
Actualmente, mais de metade do orçamento anual da TAIPA provém dos fundos comunitários, tendo a cooperativa 24 membros no quadro de pessoal e 18 colaboradores. Vai daí, continua Telma Guerreiro, uma das opções tomadas em busca da sustentabilidade económica foi tentar tornar os serviços da cooperativa (seja de formação, auditoria, contabilidade ou outros) mais “rentáveis”, ainda que esta não possua “um espírito comercial”.
“Mas temos desenvolvido essa capacidade de alguma forma, porque temos de ter essa sustentabilidade”, vinca a dirigente, acrescentando que, actualmente, a “luta” da TAIPA é conseguir fazer com que aquilo que tem e é rentável possa pagar também o seu trabalho solidário no território em que actua. “Até agora ainda não conseguimos e não sei o que vai ditar o futuro. Mas tem de haver uma preocupação global de todos”, alerta.

Desafios no horizonte
Economia à parte, são muitos os desafios que se colocam no caminho da TAIPA. Com a mudança sentida em Odemira devido ao aumento do número de emigrantes a residir e trabalhar no concelho à cabeça! “Isso claramente é um desafio para o nosso território e nós estamos já aliados a esse desafio, no sentido de olharmos de frente esta mudança. Devemos estar perto dessa mudança para percebe-la e avaliá-la”, observa Telma Guerreiro, preocupada com o facto de, até ao momento, “ninguém estar a fazer esse trabalho”.
“É preciso existir um trabalho de avaliação para percebermos que emigrantes temos, como estão a viver e de que forma estão integrados. Não queremos que Odemira tenha um problema social a este nível, mas sim receber e integrar bem estas pessoas”, acrescenta a presidente da cooperativa.
Ao mesmo tempo, continua Telma Guerreiro, a TAIPA ambiciona “continuar a dar uma formação que corresponda às necessidades do território” e valorizar os produtos do interior do concelho. Isto sem esquecer as candidaturas apresentadas para 2011, uma direccionada para a promoção da igualdade de oportunidades e de género e a outra para “pensar” as necessidades das comunidades piscatórias locais.

Uma década em mudança
Os novos desafios e projectos da TAIPA surgem depois de 10 anos de actuação no concelho de Odemira. Uma década cujos frutos são, na visão de Telma Guerreiro, visíveis e bastante positivos.
“Fazemos um balanço muito positivo [do nosso trabalho] porque sentimos que fazemos com que as pessoas que se envolvem nesses projectos sejam elas próprias os ‘actores principais’”, explica Telma Guerreiro, considerando que a grande “marca” da cooperativa ao longo destes 10 anos tem sido o trabalho de parceria. “Já havia pessoas no território com essas vontades, mas a TAIPA trouxe a forma organizada de pensar a parceria. E hoje em dia já há o hábito de nos juntarmos para responder a um determinado problema”, conta com orgulho.
Mas se o sucesso do seu trabalho é evidente, também as responsabilidades da instituição aumentaram com o passar dos anos. “De facto, sentimos que há uma expectativa sobre a TAIPA e o seu trabalho. E isso obriga-nos a fazer mais e melhor, sempre com o cuidado de melhorar”, nota Telma Guerreiro, deixando uma garantia: “Queremos ser mais eficientes e eficazes! Porque não é um peso, mas sim um prazer, sentir que podemos contribuir para o desenvolvimento do nosso território”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima