Conclusão de obras e economia são prioridades em Alcácer do Sal

Conclusão de obras e economia

O novo presidente da Câmara Municipal de Alcácer do Sal, o comunista Vítor Proença, aponta como prioridades para o seu mandato a conclusão das obras na cidade e o desenvolvimento económico do concelho.
Em declarações à Agência Lusa, o autarca do Litoral Alentejano considera o projecto de Regeneração Urbana de Alcácer do Sal (RUAS) “bem-intencionado”, mas “nem sempre bem planeado e bem executado”.
A requalificação da margem norte do rio Sado, em curso desde o início de 2012, deveria ter ficado pronta em Fevereiro deste ano, contudo, a conclusão tem sido sucessivamente adiada e Vítor Proença ainda não tem uma data para o fim das obras.
O presidente do município de Alcácer do Sal, já empossado, diz pretender também apostar no desenvolvimento económico do concelho para potenciar a “geração de empregos”, sobretudo ao nível do turismo.
A criação de “respostas turísticas de qualidade, aproveitando o património, a paisagem natural e os recursos” do território, faz parte das expectativas do autarca, que devolveu a câmara à CDU após dois mandatos de gestão socialista.
O Município também irá realizar, este mês, uma sessão pública de apresentação de um novo projecto, denominado “Comércio Investe”, que pretende contribuir para a “valorização” do comércio e da restauração locais.
“O comércio tradicional foi muito castigado” pelas obras na cidade, assume Vítor Proença, que considera necessário “retomar e preparar já a próxima Primavera”.
Outro dos marcos na gestão do autarca comunista nos próximos quatro anos será a regularização da Empresa Municipal de Serviços Urbanos de Alcácer do Sal (EMSUAS), que realiza limpezas em edifícios, arranjos exteriores e pequenas obras.
A EMSUAS recebe a quase totalidade das suas receitas da autarquia, não cumprindo, por isso, o critério de auto-sustentabilidade definido legalmente.
Vítor Proença pretende que a EMSUAS “tenha as condições para estar legal”, estando, para tal, “a estudar várias hipóteses”, que podem passar pela extinção e absorção dos serviços pela câmara ou pela criação de uma nova empresa municipal.
O autarca irá ainda ocupar-se com a reorganização dos serviços camarários, “que é urgente”.
“Encontrámos uma Câmara Municipal com défices muito significativos do ponto de vista da sua estrutura e da sua organização. Vamos dar prioridade a esta área para servir melhor e mais rapidamente o cidadão”, explica.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima