Câmara de Beja aprova extinção da empresa municipal ExpoBeja

Câmara de Beja aprova extinção da empresa municipal ExpoBeja

A Câmara de Beja, como sócia maioritária, aprovou a extinção da empresa gestora do parque de feiras e exposições da cidade, processo que deverá ficar concluído nos próximos seis meses, disse à Lusa o presidente do Município.
A extinção da ExpoBeja, de âmbito municipal e detida em 60% pela autarquia e em 40% pela associação ACOS – Agricultores do Sul, foi aprovada, por maioria, na última reunião da Câmara de Beja, com quatro votos favoráveis dos eleitos do PS e a abstenção dos três da CDU, precisou Jorge Pulido Valente.
"Temos seis meses para extinguir por completo a empresa", disse, referindo que a autarquia e a ACOS estão em negociações para encontrarem um modelo de gestão do Parque de Feiras e Exposições de Beja e que poderá passar por ser apenas uma das entidades a gerir o espaço.
Segundo o autarca, a extinção da ExpoBeja será votada na próxima reunião da Assembleia Municipal de Beja, de maioria CDU e que chumbou, em Setembro de 2011, a primeira proposta de extinção da empresa, que tinha sido aprovada pela autarquia com os votos a favor da maioria PS e contra dos comunistas.
"Se a Assembleia Municipal de Beja chumbar a extinção da empresa, terá que assumir a responsabilidade de estar a cometer uma ilegalidade", disse o autarca, frisando que o processo de extinção da ExpoBeja "tem que avançar por imperativo legal".
Jorge Pulido Valente explicou ainda que o Município decidiu extinguir a ExpoBeja porque a empresa dá prejuízos, é financeiramente "insustentável" e caminha "para uma situação de falência".
A ExpoBeja foi "incapaz de gerar negócio suficiente para sustentar as despesas", "não gera mais-valias, mas sim prejuízos, para os sócios, nem beneficia a gestão do Parque de Feiras e Exposições de Beja" e, por isso, "não faz sentido continuar a existir", disse.
Segundo o relatório de actividades de 2011 da ExpoBeja, a empresa teve um prejuízo de 19.467 euros no ano passado, menos 7.749 euros do que em 2010, quando teve um prejuízo de 27.216 euros.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima