Cidade de Serpa recebe X Encontro de Culturas

Cidade de Serpa recebe

O brasileiro Gabriel o Pensador, a fadista Ana Moura e os Amor Electro são os "cabeças-de-cartaz" do 10º Encontro de Culturas de Serpa, que arranca esta sexta-feira, 7.
Segundo a Câmara de Serpa, a promotora, o encontro, cujas anteriores edições variaram entre nove e 16 dias, vai decorrer este ano numa "versão mais concentrada" de quatro dias, devido "às reduções de custos" e para permitir aos visitantes um fim de semana prolongado "mais preenchido".
O Encontro de Culturas vai decorrer na Praça da República, que receberá os cinco espectáculos da principal programação musical, sempre a partir das 22h00, e no castelo de Serpa, onde se realizarão os três concertos da programação musical "fora de horas", sempre a partir das 00h00.
A principal programação musical do encontro arranca na sexta-feira com um espectáculo que reúne artistas de Brasil, Espanha e Portugal e foi criado no âmbito da enREDE – Rede Internacional de Municípios pela Cultura.
Seguem-se os concertos dos portugueses Amor Electro, no sábado, e de Gabriel o Pensador [na foto], no domingo.
A fechar o encontro, na segunda-feira, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, vai realizar-se o espectáculo "Dia do Cante", com actuações de três grupos corais, um rancho e alunos de uma escola de Serpa, para valorizar o Cante Alentejano, o ex-libris cultural do Alentejo e candidato a Património Imaterial da Humanidade, seguindo-se o concerto de Ana Moura.
A programação musical "fora de horas" inclui os concertos da angolana Aline Frazão, na sexta-feira, dos espanhóis Celtas Cortos, no sábado, e da portuguesa Mónica Ferraz, no domingo.
Além dos espectáculos musicais, o encontro vai incluir actividades paralelas, como duas exposições na Casa do Cante, uma de pintura, de Luís Galrito, intitulada "O Cante", e outra de 14 objectos absurdos do artista plástico e cartoonista Samuel Torres de Carvalho, mais conhecido por Sam, intitulada "Cadeiras".
A tertúlia "Dia do Cante", com Rui Vieira Nery e Paulo Lima, na segunda-feira, na Casa do Cante, e as conversas "O desenvolvimento pela cultura é um absurdo?", com João Paulo Cotrim, Luís Afonso e Margarida de Araújo, na segunda-feira, e "Alentejo, como objecto cinematógrafo", com Nicolau Breyner, António Cordeiro e Renato Lucas, no domingo, no Espaço da Nora, são as outras actividades paralelas,
Segundo a autarquia, o encontro, que promove "a cultura enquanto factor de desenvolvimento e de união entre os povos", divulga as práticas culturais de Serpa e de outras regiões portuguesas e de países com os quais a autarquia tem laços de cooperação, como Brasil, Espanha, Cuba e Cabo Verde.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima