Cercicoa quer criar residências autónomas

Cercicoa quer criar

O presidente da Cercicoa admite a possibilidade da instituição de Almodôvar criar residências autónomas para dar resposta à lista de espera para internamento que tem.
Temos “uma lista de espera na ordem das 60 pessoas” e “dá para ver que ainda ficarão muitas pessoas sem acesso a este serviço”, diz ao “CA” António Matias, presidente da direcção da Cooperativa de Educação e Reabilitação de Crianças Inadaptadas e Solidariedade Social dos Concelhos de Castro Verde, Ourique e Almodôvar.
De acordo com este responsável, a solução poderá estar na criação de novas residências autónomas, à imagem da estrutura aberta pela Cercicoa em Novembro de 2012 e que criou seis novas camas através do aproveitamento de dois apartamentos em Almodôvar.
“Estamos a fazer uma avaliação do funcionamento desta estrutura, mas os dados que temos indicam que seja essa uma solução viável a aplicar nos próximos tempos”, diz.
Na prática, continua António Matias, a Cercicoa ficará com uma estrutura base (o lar-residencial em Almodôvar) para pessoas com maiores problemas “e depois pequenas estruturas residenciais descentralizadas, em Castro Verde e Ourique”.
“O objectivo é poder responder a situações muito específicas e permitir o convívio dessas pessoas com as suas comunidades e os seus familiares”, explica.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima