Centro para deficientes mentais vai ser criado em Monforte

Centro para deficientes mentais

Um equipamento social para acolher deficientes mentais vai ser construído em Monforte, no período de três anos, permitindo a criação de 30 a 40 postos de trabalho.
“A garantia que temos é que este equipamento pode criar entre 30 a 40 postos de trabalho e para Monforte é muito considerável. É mesmo vital para nós e para a economia deste concelho”, diz à Agência Lusa o autarca local, Gonçalo Lagem.
Para o avanço do projecto de construção do equipamento, a Câmara Municipal de Monforte vai assinar esta quarta-feira, 4, um protocolo com o Centro de Educação e Reabilitação de Deficientes de Todo o País (Cercitop), entidade promotora da iniciativa.
De acordo com o autarca, o equipamento social vai ser construído numa área com um hectare, cedida pelo Município, junto ao quartel dos bombeiros daquela vila do Alto Alentejo.
“O protocolo visa a cedência gratuita do terreno para a construção do equipamento social de apoio a deficientes mentais, a fidelização do investidor e compromete o mesmo a iniciar a preparação da candidatura do projecto ao próximo quadro comunitário”, explica.
Manifestando-se convicto de que o investimento, cujo valor disse desconhecer, vai “estimular” a economia concelhia, Gonçalo Lagem explica que “ainda não está estipulado” o número de utentes que o equipamento vai albergar.
“No protocolo está implícito que 80 por cento dos postos de trabalho, que vão ser criados pela nova unidade, têm de ser obrigatoriamente atribuídos a pessoas do concelho de Monforte”, diz.
Segundo o autarca, “só não foi estipulado os 100 por cento”, porque o equipamento exige funcionários com qualificação e formação, situação a que o concelho de Monforte poderia “não conseguir dar resposta”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima