Centro de Bioenergia de Portalegre abre no primeiro trimestre de 2015

Centro de Bioenergia de Portalegre

A primeira fase das obras de um centro de bioenergia que está a ser construído em Portalegre deverá ficar concluída no início de 2015, num investimento de 1,7 milhões de euros, revela o presidente do Politécnico local.
“O centro está a ser construído junto à Escola Superior de Tecnologia e Gestão e, nesta primeira fase, o equipamento e a obra têm um custo superior a 1,7 milhões de euros”, adianta à Agência Lusa o presidente do Instituto Politécnico de Portalegre (IPP), Joaquim Mourato.
O centro de bioenergia, um projecto do IPP, está integrado no Parque de Ciência e Tecnologia do Alentejo e pretende servir de suporte à criação de empresas, de suporte tecnológico de unidades de produção de combustíveis a uma escala piloto e de suporte laboratorial na área da química, materiais e de microbiologia, entre outros.
A primeira de três fases da obra, que tem um custo total de 4,5 milhões de euros, conta com a comparticipação de fundos comunitários, através do programa InAlentejo, em 85%.
“No último quadro comunitário apenas conseguimos financiamento para cerca de 40%. Portanto, ambicionamos terminar esta obra no início de 2015 e, ainda no primeiro trimestre, arrancar com projectos lá instalados, empresas e investigadores”, diz.
De acordo com o presidente do IPP, a segunda e terceira fases deverão arrancar logo de seguida para completar o investimento (4,5 milhões de euros).
A segunda fase servirá para adquirir mais equipamentos, com o objectivo de atingir o estatuto de “principal referencia” na área da bioenergia.
A última fase do projecto passa por abranger uma outra área, a animação multimédia, criando um espaço que funcione como um “laboratório” para receber a produção de projectos de âmbito académico, profissionais e prestação de serviços.
O centro de bioenergia pretende ainda fomentar o desenvolvimento e implementação industrial de tecnologias economicamente viáveis, que permitam uma conversão eficiente de biomassa em combustíveis sólidos, líquidos ou gasosos, energia eléctrica e energia térmica e, também, encontrar metodologias de remediação ambiental eficientes e sustentáveis.
Pretende também auxiliar as empresas com melhores mecanismos energéticos, que se reflictam em maior poupança, eficiência e qualidade ambiental, possibilitando o desenvolvimento da sua actividade industrial com recurso a novas fontes de energia e tratando, reutilizando e valorizando os seus resíduos biomássicos que, em muitos casos, representam um problema e um custo adicional.
“É uma grande aposta. Seguramente vamos ter grandes parcerias e acolher projectos de muito interesse”, refere.
O centro de bioenergia vai ainda complementar a oferta formativa da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Portalegre nas temáticas energético-ambientais, visando dar resposta ao potencial de crescimento desta área das energias renováveis em Portugal e na Europa.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima