Castro Verde mantém aposta no desenvolvimento económico do concelho

Castro Verde mantém aposta no desenvolvimento económico do concelho

A diversificação da base económica local continua a ser uma aposta da Câmara de Castro Verde, que mantém uma situação financeira controlada.
A garantia é dada pelo presidente da autarquia, Francisco Duarte, e pode ser lida no caderno especial dedicado ao concelho de Castro Verde editado esta sexta-feira, 29, juntamente com o "CA".

<b>O GAD – Gabinete de Apoio ao Desenvolvimento abriu portas ao público no final de Maio. Que importância tem o projecto?</b>
É mais um ponto de um caminho que estamos a percorrer desde alguns anos, mais concretamente no último ano. Porque mesmo em contexto de crise sentimos que há oportunidades e condições para o desenvolvimento de algumas iniciativas, no sentido de diversificar a base económica local. Pensamos que isso é fundamental – e é uma conversa que já não é de hoje – e que essa diversificação se impõe e se torna cada vez mais urgente.

<b>O GAD é uma “ferramenta” nesse objectivo?</b>
O contexto não é dos mais favoráveis, mas temos de preparar as condições para tudo o que aparecer em termos de investimento poder ser aconselhado, acompanhado e facilitado dentro dos meios que temos, que não são muitos. Por outro lado, entendemos que relativamente à população local há uma formação que tem de ser dada aos que já estão na iniciativa empresarial. Não estamos a propor que sejamos nós próprios a promover essa formação, mas sim congregar sinergias de diversos organismos no sentido de procurar efectivamente proporcionar essa formação, tanto a nível dos activos como daqueles que estão à procura do primeiro emprego ou pretendem lançar alguma iniciativa nesta área.

<b>No âmbito desse trabalho, já existem intenções de investimento privado?</b>
Poucas, muito poucas. Mas uma que seja já é importante! Não estamos à espera de resultados práticos ou de estatísticas. As coisas têm de ser lançadas, consolidadas, e os resultados com certeza que aparecerão. Não estamos à espera de resultados imediatos, é um trabalho de médio-longo prazo.

<b>LEIA A ENTREVISTA DE FRANCISCO DUARTE NA ÍNTEGRA NA EDIÇÃO DE 29 DE JUNHO DO "CORREIO ALENTEJO", JÁ NAS BANCAS</b>

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima