Castro Verde cria fundo de apoio social

Castro Verde cria

A Câmara de Castro Verde vai criar um fundo de apoio social, no valor de 150 mil euros, dirigido às famílias, instituições sociais e empresas, visando a aquisição de bens, serviços e equipamentos necessários na actual situação de emergência causada pela pandemia de Covid-19.
A medida faz parte do novo pacote de apoios aprovados nesta semana, em reunião de Câmara, no sentido de minimizar no concelho “as consequências sociais desta crise” e, em simultâneo, “fomentar a recuperação económica”. “Nesta fase, igualmente muito exigente, o Município de Castro Verde entende tomar mais medidas extraordinárias, baseadas no princípio de defesa da saúde pública e, dadas as circunstâncias que vivemos, de apoio às famílias, às empresas e ao emprego”, acrescenta a proposta apresentada pelo presidente da autarquia, António José Brito, e aprovada pelo executivo municipal.
Além da criação do fundo de apoio social, foi igualmente decidida a atribuição de um subsídio extraordinário de 4.000 euros a cada uma das instituições de solidariedade social (IPSS) do concelho, assim como à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Castro Verde (4.000 euros) e à Delegação da Cruz Vermelha de Castro Verde (1.500 euros). A juntar a isto, a autarquia vai igualmente proceder ao pagamento imediato dos apoios financeiros anuais protocolados com o Lar Jacinto Faleiro (12.768 euros) e Fundação Joaquim António Franco (13.672 euros).
As IPSS, Bombeiros Voluntários e Cruz Vermelha estarão ainda isentas do pagamento de água, saneamento e resíduos urbanos entre os meses de Abril e Junho.
Entre as novas medidas aprovadas está também o pagamento, entre Abril e Junho, de uma comparticipação de 100% nos custos elegíveis no âmbito do Cartão Social nos escalões A e B (num valor global estimado de 7.500 euros) e a isenção total, no mesmo período, do pagamento de rendas de habitações sociais propriedade da Câmara Municipal (7.500 euros).
No plano das empresas, a Câmara de Castro Verde decidiu isentar totalmente, de Abril a Junho, o pagamento de rendas de todos os estabelecimentos comerciais, oficinas de artesanato, bancas do mercado municipal e empresas sediadas em espaços de propriedade municipal (no valor total estimado de 14.000 euros) e o pagamento de água, saneamento e resíduos urbanos, no mesmo período, a todas as empresas e empresários em nome individual (27.000 euros). A autarquia vai ainda “pagar a pronto pagamento, após serviço prestado e contra-entrega da factura”, a todos os fornecedores do concelho de Castro Verde.
Como forma de “reforçar o investimento público no concelho, para apoiar o emprego e a dinamização da economia”, a Câmara Municipal decidiu igualmente “acelerar a concretização do seu plano de investimentos em 2020 e 2021”, nomeadamente a requalificação da Rua Morais Sarmento, do Pavilhão Desportivo Municipal e da Estrada Municipal 508 e Caminho Municipal 1139, entre Castro Verde e a mina de Neves-Corvo, e o Centro de Artes e da Viola Campaniça.
No mesmo plano, a autarquia irá avançar “o mais rápido possível” com o início das obras de construção do Parque Empresarial de Castro Verde, a primeira fase de requalificação da Escola Secundária, a requalificação do eixo Largo Vítor Prazeres e Rua António Francisco Colaço, a ampliação do Cemitério Municipal, a requalificação do Centro Coordenador de Transportes e a construção da nova Casa Mortuária de Entradas. No total, a edilidade estima um investimento total de 6,8 milhões de euros até ao final de 2021.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

OP de Odemira com 51 propostas em 2021

Um total de 51 propostas de investimento público foram apresentadas pela população do concelho de Odemira no âmbito do processo do “Orçamento Participativo” (OP) de

Role para cima