Carlos Moedas participou nas comemorações do Dia do IPBeja

Carlos Moedas participou nas comemorações do Dia do IPBeja

O secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro, Carlos Moedas, considerou esta terça-feira, 8, "muito importante" a revisão do programa de assistência económica e financeira a Portugal, referindo que, por isso, o país deve "fazer as coisas bem".
"Como sabem está cá a ‘troika’. Estamos a fazer a revisão do programa e isso é que é muito importante para o país", disse Carlos Moedas aos jornalistas em Beja, onde participou na sessão comemorativa do 32º aniversário do Instituto Politécnico da cidade.
"Estamos a trabalhar 24 horas por dia e é isso que nós temos que fazer. A ‘troika’ está cá e é isso que é importante para o país, é fazer as coisas bem", acrescentou, escusando-se a prestar mais declarações sobre a segunda avaliação trimestral da "troika" ao programa de assistência económica e financeira a Portugal, que começou na segunda-feira.
A propósito da participação de Carlos Moedas na cerimónia desta terça-feira, cerca de 30 pessoas concentraram-se à porta do <i>campus</i> do Instituto Politécnico de Beja com seis faixas com reivindicações e palavras de ordem.
Entre as pessoas estavam representantes da União de Sindicatos do Distrito de Beja e das delegações de Beja da Associação Nacional de Freguesias (Anafre) e do Movimento Unitário de Reformados, Pensionistas e Idosos (MURPI).
Este protesto levou a que antes da cerimónia, o secretário de Estado acabou por reunir com os representantes da União de Sindicatos do Distrito de Beja e da delegação de Beja da ANAFRE.
No final do encontro, Carlos Moedas explicou que a reunião realizou-se a pedido dos representantes, que quis ouvir e a quem deixou a mensagem de que o Governo está "a trabalhar para resolver a situação do país".
Depois, durante a sessão comemorativa dos 32 anos do IPBeja, Moedas abordou a importância da educação no desenvolvimento local.
Na cerimónia falaram também o provedor do estudante do IPBeja, António Semedo; o presidente do Conselho Geral do IPBeja, João Paulo Ramôa; o vice-presidente da Câmara de Beja, José Velez; e o presidente do IPBeja, Vito Carioca.
Este último aproveitou a ocasião para adiantar que o IPBeja vai racionalizar a sua oferta formativa e conter as despesas, "de forma a acomodar financeiramente os impactos do corte nas transferências do Orçamento do Estado" em 2012.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima