Capitão do Odemirense soma mais de 500 jogos

Capitão do Odemirense

Muitos dias (e jogos) se passaram ao longo de 19 anos e talvez por isso Périka não se recorde com clareza do dia em que se estreou pela equipa sénior do Odemirense.
“Sinceramente, só me lembro que ainda era júnior e que foi na 3ª divisão nacional, há quase 20 anos atrás. Joguei a lateral-direito e o treinador era o Xico Fernandes”, confidencia ao “CA” o (quase) eterno capitão da equipa do Litoral Alentejano.
Homem da casa, Pedro Manuel Moura Correia Gonçalves (verdeiro nome do jogador) passou pelos diversos escalões de formação do Odemirense até se estrear pelos seniores em 1995-1996.
Desde então já se passaram 19 épocas e mais de 500 jogos, que fizeram de Périka um dos “símbolos” do emblema que leva ao peito todos os domingos.
“Há mais colegas importantes no balneário além de mim”, desvaloriza o atleta, que também garante nunca se ter apercebido que já levava tantos jogos nas pernas.
“Nem fazia a mais pequena ideia de que já tinha alcançado essa marca! Sabe como é, uma pessoa quer sempre jogar e graças a Deus nunca tive uma lesão grave. Assim se foram somando os jogos”, diz com boa disposição o atleta.
Os jogos (e os anos) passaram e já com 35 primaveras no BI Périka olha para trás com satisfação e orgulho, ainda que não esconda que gostaria de ter jogado mais nos campeonatos nacionais.
“Tenho pena de o Odemirense só de há 10 anos para cá ter melhorado em termos de organização. Se o clube tem sido sempre como é actualmente, provavelmente teria tido mais resultados nos seniores. No fundo, tenho pena de não ter sido mais vezes campeão distrital, para jogar na 3ª divisão nacional. É que é fantástico andar na 3ª divisão, a jogar com e contra atletas melhores que nós”, justifica.
Talvez por isso, Périka assuma que a maior alegria que sentiu ao longo destes 19 anos que leva de “carreira” tenha sido no dia 2 de Maio de 2010, quando o Odemirense derrotou o FC São Marcos por 6-0… e se sagrou campeão distrital!
“Esse jogo em que nos sagrámos campeões foi inesquecível. E tive imensa pena de não termos ganho também nesse ano a Taça do Distrito de Beja [N.d.r.: derrota na final com o Barrancos por 1-2 após prolongamento], porque é uma festa impecável. Com a ‘dobradinha’ tinha sido uma época fantástica”, conta Périka.
Prestes a cumprir 36 anos (a 30 de Janeiro de 2014), o capitão do Odemirense ainda se sente com forças para mais umas épocas.
“Se continuar como este ano, é para ir para a frente”, diz Périka, que se até se diverte com a passagem dos anos.
“Cheguei a ir jogar ao Seixal e ouvir as pessoas lá fora a dizerem-me que a minha mãe não sabia que eu estava ali. Agora é ao contrário! Dizem que eu tenho muitos anos e que já não tenho idade para jogar à bola [risos]. É engraçado”, conclui.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima