Candidatura do cante alentejano a património mundial bastante "desafinada"

Candidatura do cante alentejano a património mundial bastante "desafinada"

A Câmara de Beja só apoiará a candidatura do cante alentejano a Património da Humanidade se a entrega à Unesco for adiada e o projecto reestruturado para garantir a participação dos grupos corais e autarquias do concelho.
As condições do Município para apoiar a candidatura surgem num documento aprovado na última reunião de Câmara pelos quatro eleitos do executivo PS e os votos contra dos três vereadores da oposição CDU.
No documento, a Câmara de Beja condiciona o seu apoio à candidatura ao "adiamento" da data prevista para a entrega do dossier na sede da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) em Paris (França), ou seja, o próximo dia 30.
O Município de Beja justifica o adiamento com a necessidade de se fazerem algumas "alterações estruturais e orgânicas" na candidatura e que considera "indispensáveis".
A autarquia exige ainda a "reestruturação orgânica e funcional do projecto", para que seja "garantida a participação efectiva" das autarquias e dos grupos corais do concelho de Beja na "elaboração e acompanhamento" da candidatura.
Com esta posição, a Câmara de Beja juntou a sua voz ao "coro" que nos últimos dias tem vindo a público pedir à comissão executiva da candidatura, dinamizada pela Confraria do Cante Alentejo, Casa do Alentejo, Associação MODA e Câmara de Serpa, mais tempo para a elaboração de uma proposta realmente forte e sustentada.
Um dos primeiros a insurgir-se contra o andamento do processo foi mesmo o próprio presidente da comissão científica da candidatura, o musicólogo e antigo secretário de Estado da Cultura Rui Vieira Nery, que a 15 de Fevereiro pediu a demissão do cargo por entender a candidatura do cante alentejano “enferma de vários dos problemas” que nos últimos anos levaram a Unesco a rejeitar inúmeras candidaturas.
Uma das lacunas apontadas por Nery é o facto da candidatura ser apresentada “exclusivamente pela Câmara de Serpa”, apesar do cante alentejano ser “um género cuja prática transcende largamente o âmbito geográfico deste concelho”.
Por sua vez, a Câmara de Castro Verde aprovou por unanimidade, durante a reunião do executivo municipal, uma proposta dos eleitos do PS a pedir também que a comissão executiva adie a apresentação da candidatura.

<b>MAIS INFORMAÇÃO NA EDIÇÃO DE 9 DE MARÇO DO "CORREIO ALENTEJO", JÁ NAS BANCAS</b>

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima