Câmara de Serpa contra hospital na Misericórdia

Câmara de Serpa contra

O Ministério da Saúde pretende avançar já no mês de Novembro com a transferência da gestão do Hospital de São Paulo, em Serpa, para a Santa Casa da Misericórdia local.
Uma medida que é contestada pelo presidente da Câmara de Serpa, por considerar que tal poderá levar à perda de serviços.
"A Câmara de Serpa é totalmente contra a transferência do Hospital de São Paulo para qualquer instituição privada, seja ela qual for", nomeadamente para a Santa Casa da Misericórdia, disse o comunista Tomé Pires à Agência Lusa.
Segundo ao autarca, ao nível da posição da autarquia, "não está em causa a Santa Casa da Misericórdia de Serpa, que desenvolve bem o seu trabalho no concelho".
"O que está em causa é a transferência do hospital, um serviço público, para uma entidade privada ou instituição particular de solidariedade social (IPSS). O que não queremos mesmo é que o hospital deixe de estar sob a alçada do Ministério da Saúde, porque é uma competência do Estado", frisou.
O autarca defendeu que o Hospital de São Paulo "deve continuar sob a alçada do Ministério da Saúde, dando cumprimento ao direito à saúde para todos, que está consagrado na Constituição".
Segundo Tomé Pires, à semelhança do que "costuma acontecer com serviços públicos que são privatizados", a transferência do Hospital de São Paulo para a Santa Casa da Misericórdia de Serpa poderá levar à "perda" de serviços actualmente prestados.
"A haver uma transferência, o hospital, muito provavelmente, irá ter outros serviços mais no âmbito das atuais competências das misericórdias e para dar respostas a determinadas situações que não são comparáveis às dadas por um hospital público", disse.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima