Câmara de Odemira com orçamento de 30 milhões

Câmara de Odemira com

A Câmara de Odemira vai contar com um orçamento ligeiramente superior a 30 milhões de euros em 2014, abaixo dos 33,4 milhões de euros orçamentados para o ano em curso.
“Vamos ter menos oito por cento no valor global do orçamento relativamente a 2013, porque tivemos realmente um corte significativo” nas receitas, adianta ao “CA” o presidente do Município odemirense.
De acordo com José Alberto Guerreiro, os cortes registados nas transferências do Estado e a redução das receitas próprias vão ter “alguns reflexos” na acção da autarquia e implicar “alguns ajustamentos do lado da despesa”, mas sem que isso represente aumento nos impostos municipais.
“Não vamos ter aumento de impostos no concelho de Odemira em 2014”, vinca o edil socialista, explicando que as taxas de IMI ficarão todas abaixo do limite máximo fixado por lei e que às pequenas empresas com sede no concelho e volumes de negócios inferiores a 150 mil euros não será cobrada a Derrama.
O desenvolvimento económico do concelho vai ser a grande prioridade da Câmara de Odemira em 2014, sendo que já no primeiro trimestre do novo ano será apresentado um programa de apoio ao investimento local e outro direcionado para as empresas locais, sobretudo para as que estão ligadas aos sectores agrícola e turístico.
“Temos vindo a promover, a apoiar e a estar presentes nas principais iniciativas empresariais locais. E obviamente que vamos dar particular atenção a essa matéria, com uma regulamentação própria de apoio directo ao investimento e a essas actividades”, argumenta José Alberto Guerreiro, revelando que a autarquia também já está a trabalhar no sentido de “captar o máximo de receitas possível do próximo quadro comunitário de apoio, que vai estar muito vocacionado para o apoio às iniciativas empresariais privadas e à criação de emprego”.
A acção social será outra das preocupações da autarquia odemirense em 2014, depois de nos últimos quatro anos ter investido bastante nesta área através do apoio à construção de novos lares no concelho.
Nesse sentido, José Alberto Guerreiro revela que no ano que se aproxima a Câmara de Odemira vai reforçar os benefícios do Cartão Social Municipal, “assim como aumentar o número de bolsas de estudo para o ensino superior, assumir a totalidade do custo dos transportes escolares com todos os alunos do concelho e dar um apoio muito concreto às instituições no âmbito do envelhecimento activo”.
Em 2014 também não faltarão obras no concelho de Odemira, a começar pela reestruturação da rede de águas e saneamento promovida pela Águas Públicas do Alentejo e pelos projectos de requalificação urbana de Vila Nova de Milfontes e Zambujeira do Mar, ambos no âmbito do programa Polis Litoral Sudoeste.
Em paralelo, a autarquia odemirense conta avançar no próximo ano com a construção de um jardim público em Milfontes, com a requalificação urbana (que inclui uma nova variante interior e um jardim público) de São Teotónio e a reabilitação da zona baixa de Sabóia (avaliada em mais de um milhão de euros), além de pretender dar os primeiros passos no projecto do novo Arquivo Municipal.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima