Bombeiros Voluntários de Beja enfrentam dificuldades económicas

Bombeiros Voluntários de Beja enfrentam dificuldades económicas

Os Bombeiros Voluntários de Beja atravessam uma situação financeira “complicada” devido à redução e aos atrasos no pagamento dos subsídios da Câmara e aos cortes no transporte de doentes, disse à Lusa o presidente da instituição.
“A situação financeira é complicada”, porque “a Câmara de Beja reduziu em 2010 o financiamento que atribui aos bombeiros e ainda não pagou toda a verba”, explicou o presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Beja.
Segundo António Rodeia Machado, a Câmara de Beja assinou um protocolo com a associação relativo a 2010 que contempla a atribuição de um subsídio de 109.900 euros para despesas correntes, já pago, e outro de 50 mil euros para despesas de capital, do qual ainda falta pagar 40 mil euros.
O atraso no pagamento da verba veio “complicar a já complicada situação dos bombeiros”, devido à redução do financiamento atribuído pela Câmara em 2010 e em relação ao de 2009.
A Câmara voltou a reduzir o financiamento para este ano e os bombeiros só irão receber “98 mil euros para despesas correntes e 35 mil euros para despesas de capital”, ou seja, “menos cerca de 86 mil euros em relação a 2009”.

<b>MAIS INFORMAÇÃO NO "CORREIO ALENTEJO" DE 25 DE MARÇO, AMANHÃ NAS BANCAS</b>

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

DECO promove atendimento em Odemira

Esclarecer dúvidas sobre os direitos do consumidor em diversas áreas é o grande objetivo das sessões gratuitas de atendimento que a DECO – Associação Portuguesa

Role para cima