Bombeiros Voluntários de Beja enfrentam dificuldades económicas

Bombeiros Voluntários de Beja enfrentam dificuldades económicas

Os Bombeiros Voluntários de Beja atravessam uma situação financeira “complicada” devido à redução e aos atrasos no pagamento dos subsídios da Câmara e aos cortes no transporte de doentes, disse à Lusa o presidente da instituição.
“A situação financeira é complicada”, porque “a Câmara de Beja reduziu em 2010 o financiamento que atribui aos bombeiros e ainda não pagou toda a verba”, explicou o presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Beja.
Segundo António Rodeia Machado, a Câmara de Beja assinou um protocolo com a associação relativo a 2010 que contempla a atribuição de um subsídio de 109.900 euros para despesas correntes, já pago, e outro de 50 mil euros para despesas de capital, do qual ainda falta pagar 40 mil euros.
O atraso no pagamento da verba veio “complicar a já complicada situação dos bombeiros”, devido à redução do financiamento atribuído pela Câmara em 2010 e em relação ao de 2009.
A Câmara voltou a reduzir o financiamento para este ano e os bombeiros só irão receber “98 mil euros para despesas correntes e 35 mil euros para despesas de capital”, ou seja, “menos cerca de 86 mil euros em relação a 2009”.

<b>MAIS INFORMAÇÃO NO "CORREIO ALENTEJO" DE 25 DE MARÇO, AMANHÃ NAS BANCAS</b>

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima