Beja recebe encontro ibérico sobre o declínio do montado

Beja recebe encontro ibérico

O Centro de Biotecnologia Agrícola e Agroalimentar do Alentejo (CEBAL), com sede em Beja, escolherá em breve o exemplar de sobreiro cujo genoma irá tentar sequenciar.
No âmbito da primeira fase do “GenoSuber – sequenciação do genoma do sobreiro”, pioneiro a nível internacional, a equipa do projecto, através de um estudo preliminar a nível molecular, já seleccionou 50 sobreiros puros, a partir dos quais, “em breve”, vai ser identificado o sobreiro cujo genoma (código genético) será sequenciado, disse à Agência Lusa Sónia Gonçalves, do CEBAL.
“Os sobreiros são árvores que se cruzam frequentemente com outras espécies de quercus”, como as azinheiras, resultando muitas vezes em híbridos do ponto de vista genético”, ou seja, com misturas de ADN, “embora visualmente sejam sobreiros”, explicou.
Por isso, através de vários critérios, foi necessário selecionar os 50 sobreiros puros, que estão situados em zonas de São Brás de Alportel e Loulé (Algarve), da Herdade dos Leitões (Alentejo) e da Companhia das Lezírias e identificados por coordenadas GPS e foto identificação.
A equipa já efectuou uma colheita de folhas dos sobreiros, das quais extraiu ADN e realizou uma análise através de marcadores moleculares, o que permitirá identificar os sobreiros com menor variabilidade, disse, referindo que os resultados estão a ser analisados para se identificar o sobreiro cujo genoma será sequenciado.
Estes são os primeiros resultados da primeira fase do “GenoSuber” e que vão ser divulgados durante a apresentação oficial do projecto, que vai decorrer esta sexta-feira, 17,, em Beja, integrada no I Encontro Ibérico sobre o Declínio do Montado.
Segundo Sónia Gonçalves, a descodificação do genoma vai permitir “um avanço no conhecimento e melhoramento genético” do sobreiro, “a espécie florestal com maior interesse económico e social em Portugal”, que é líder e o responsável por cerca de um terço da produção mundial de cortiça.
O I Encontro Ibérico sobre o Declínio do Montado, organizado pelo CEBAL, em parceria com outras instituições, inclui quatro sessões temáticas, que vão decorrer esta sexta-feira no auditório do Instituto Politécnico de Beja, e uma visita técnica a um montado em declínio, no concelho de Grândola, no sábado, 18.
O “GenoSuber”, que arrancou no passado mês de Janeiro e deverá durar dois anos e meio, vai “trazer uma nova dimensão” à fileira florestal portuguesa, ao abrir a possibilidade de delinear estratégias de melhoramento da espécie, “com importantes repercussões a médio e longo prazo no setor” da cortiça, explicou Sónia Gonçalves.
O projecto, que envolve outras cinco instituições, além do CEBAL, e 28 investigadores, está orçado em 1,1 milhões de euros e será financiado em 85% por fundos comunitários, sendo a verba restante assegurada por privados.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima