BE alerta para estado de estradas em Odemira

BE alerta para estado

O grupo parlamentar do Bloco de Esquerda (BE) propôs na Assembleia da República uma recomendação ao Governo para que avance, “com urgência”, com a reparação das estradas regionais (ER) 123 e 266 e do viaduto de Luzianes-Gare, no concelho de Odemira.
Em comunicado enviado ao “CA”, o BE de Odemira lembra que a ER 123, o viaduto de Luzianes-Gare e a ER 266 “constituem fundamentais ligações a Odemira, sede do concelho, às freguesias vizinhas do interior do concelho e ao Algarve, assim como aos distritos de Beja e Évora”, além de serem “as únicas ligações existentes entre as estações ferroviárias da Funcheira e de Santa Clara-Sabóia”.
De acordo com os bloquistas, estas estradas “são muito utilizadas para o transporte dos produtos oriundos do interior do concelho de Odemira, para os transportes dos alunos que frequentam a escola básica e as escolas secundárias da localidade, assim como para as deslocações das populações aos diversos serviços de saúde no concelho e na região, para os diferentes locais de trabalho e, até, para as visitas a nível turístico”.
“O próprio viaduto de Luzianes-Gare, uma importante obra emblemática de engenharia moderna, apresenta um pavimento muito irregular e degradado, o que coloca em causa a segurança de pessoas e veículos”, acrescenta o BE, observando que “esta situação grave acaba por se reflectir negativamente a nível social e económico, contribuindo ainda mais para a interioridade e o abandono das freguesias no interior do concelho de Odemira”.
Para o BE, são vários os factores que contribuem para a degradação do piso destas vias, nomeadamente “as condições climatéricas e o próprio tráfego rodoviário, muito dele pesado e que tem vindo a aumentar”. “É de salientar o transporte de madeira de eucalipto proveniente da serra, do granito extraído da pedreira de Monchique e o transporte das próprias máquinas utilizadas em todos estes e outros trabalhos”, acrescenta.
Os bloquistas recordam ainda que “a crescente degradação em que se encontram a EN/ER 123, o viaduto de Luzianes-Gare e a ER 166 tem motivado descontentamento por parte das populações, autarcas e de outras entidades”, sendo que no final de 2018 foi aprovada uma moção, “por unanimidade”, sobre o tema na Assembleia de Freguesia de Luzianes-Gare, a qual foi enviada ao Governo, à empresa Infra-estruturas de Portugal e a outras entidades oficiais.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima