Banco Alimentar Contra a Fome de Beja já apoia 2.500 pessoas no distrito

Banco Alimentar Contra a Fome de Beja já apoia 2.500 pessoas no distrito

Apesar de contar apenas três meses de existência “autónoma”, o Banco Alimentar Contra a Fome (BACF) de Beja já distribui os seus cabazes alimentares mensais por 30 instituições de solidariedade social (IPSS) em todo o distrito, apoiando um total de 2.500 pessoas com carências nutricionais ou outras necessidades mais básicas.
“Não sei se é mais ou menos que em outros distritos, até porque no Baixo Alentejo temos menos população, mas é [um número] preocupante. Sobretudo pela rapidez que se notou no aumento do número de pessoas apoiadas”, conta ao “CA” a responsável pelo BACF bejense, Madalena Palma.
Por mês, sempre na segunda semana, as três dezenas de IPSSs do distrito de Beja apoiadas pelo Banco Alimentar levantam para os seus utentes um total de 6,5 toneladas de produtos alimentares, mas os pedidos de apoio não param de chegar às mãos de Madalena Palma e de outros voluntários.
“Todos os meses as instituições nos mandam mais nomes, porque estão a apoiar mais pessoas. E nós tentamos dar resposta”, afiança.
Esta situação, admite, faz com que já existam IPSSs em lista de espera pelo apoio do BACF de Beja.
“Neste momento, vamos ter de colocar em lista de espera as [IPSS] que nos solicitarem apoio. É que com a quantidade de alimentos que temos [em armazém], se apoiarmos mais instituições os cabazes começam a diminuir”, justifica Madalena Palma, lembrando que o <i>stock</i> do BACF depende das duas campanhas anuais de recolha ou da solidariedade de empresários agrícolas e superfícies comerciais, que pontualmente doam os seus excedentes à instituição.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima