AVAL com projecto de inclusão social

AVAL com projecto

A AVAL – Associação de Voleibol do Alentejo e Algarve, com sede em Castro Verde, vai implementar nestas duas regiões ao longo de 2017 o projecto “Voleibol de todos para todos”.
Trata-se de uma iniciativa de cariz social, através da prática de voleibol sentado, que visa a inclusão de pessoas com deficiência e que acaba de ser contemplado com um apoio financeiro de cerca de 24 mil euros no âmbito do Prémio BPI Capacitar 2016. Mas na prática, de que estamos a falar?
“A nossa preocupação é dinamizar um verdeiro trabalho de inclusão social pelo desporto. Nesse sentido, a AVAL vai apetrechar as cercis do Alentejo e do Algarve, formar os técnicos dessas instituições de apoio à deficiência e criar encontros e campeonatos para a inclusão social. Para que nos campeonatos da Federação Portuguesa de Voleibol (FPV) haja um momento para a inclusão social. Basicamente, queremos criar um voleibol de todos e para todos”, explica ao “CA” António Espírito Santo, actual dirigente da FPV e “mentor” deste projecto quando ainda liderava a AVAL.
De acordo com este responsável, o projecto “está a dar os seus primeiros passos” e já conta com parcerias com a Cercibeja e a Cercicoa (Almodôvar). Mas a ideia é ir mais além e servir de exemplo em todo o país… e para várias modalidades.
“Seremos nós a fazer a ‘mancha de saída’, para demonstrar que é possível estarmos todos no chão a jogar voleibol, mesmo que estejamos numa cadeira de rodas. Porque continuo a acreditar que o desporto é a maior arma contra a exclusão social. E temos de a aproveitar”, afirma António Espírito Santo, esperando que a partir desta iniciativa da AVAL seja possível olhar para o desporto “de outra forma”.
“Ou seja, que não se olhe apenas pela parte competitiva, do ganhar ou perder, mas ter também esta componente de sorrir, de viver, de sermos mais felizes através do desporto, sejamos ou não portadores de deficiência”, reforça.
Com o apoio do BPI o projecto da AVAL será implementado em diversas instituições deficiência de todo o Alentejo e Algarve. Só depois começarão a realizar-se os encontros/campeonatos de voleibol sentado, ainda que Castro Verde já tenha recebido em Março um primeiro encontro, ainda experimental, que juntou utentes os da Cercibeja e da Cercicoa a crianças das escolas locais.
“Foi um encontro muito simpático e feliz, porque todos estiveram a participar e a jogar voleibol sentado. Isso demonstra que esta é de facto uma forma de inclusão social”, conclui António Espírito Santo.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Escola Mário Beirão reabre em Beja

A Escola Básica Mário Beirão, em Beja, reabre esta segunda-feira, 27, para os alunos dos ensinos pré-escolar e primeiro ciclo, depois que as inundações provocadas

Role para cima