Autárquicas. Domingo é o dia de todas as decisões!

Domingo é o grande dia! Depois de duas semanas de campanha intensa em todos os concelhos da região, os eleitores baixo-alentejanos vão escolher, a 26 de setembro, os autarcas que, nos próximos quatro anos, irão liderar cada uma das 14 câmaras municipais (e 75 juntas de freguesia) do distrito de Beja.

O PS parte em vantagem, depois da retumbante vitória alcançada em 2017, em que conquistou 10 das 14 câmaras municipais do Baixo Alentejo. Um triunfo categórico que os socialistas querem repetir este ano, a começar pela capital de distrito, como reiterou o secretário-geral do partido (e primeiro-ministro), António Costa, num comício realizado em Beja na noite de terça-feira, 21.

“Há quatro anos, para muitos, terá sido uma surpresa a eleição de Paulo Arsénio para presidente da Câmara de Beja. Quatro anos passados é para todos uma certeza a sua reeleição”, disse António Costa.

Com todos os cabeças-de-lista do partido às câmaras municipais da região presentes na plateia, Costa aproveitou a oportunidade para defender ser “fundamental” haver na região autarcas “que não sejam contra a União Europeia”, mas sim “a favor da União Europeia”, numa crítica implícita aos eleitos do PCP.

Nada de estranhar, uma vez que os comunistas são os grandes “rivais” do PS nestas eleições no Baixo Alentejo. Longe dos tempos de glória mas ainda com maioria em quatro autarquias, a CDU quer recuperar algumas das câmaras perdidas para os socialistas em 2017, com Beja e Moura “à cabeça”.

Por isso mesmo, o secretário-geral do PCP passou pela região quatro vezes nas últimas duas semanas. Numa dessas passagens, em Beja, Jerónimo de Sousa assumiu a ambição da CDU “reconquistar” esta Câmara Municipal, “resgatando-a ao marasmo a que a gestão do PS a condenou”.

A campanha eleitoral também trouxe ao Baixo Alentejo os líderes do Bloco de Esquerda (BE), do CDS-PP e do Chega.

Catarina Martins esteve, no final da passada semana, em Odemira, concelho onde os bloquistas alimentam a expetativa de eleger um vereador para a Câmara Municipal. Foi aí que lançou duros ataques ao PS e à agricultura intensiva, lembrando que o BE foi o único que disse claramente que “não aceitará nem mais um metro de estufa em Odemira”.

Por sua vez, o presidente do CDS-PP esteve em Beja, também na passada semana, em campanha com os candidatos da coligação “Beja Consegue”, que junta os centristas ao PSD, PPM, Iniciativa Liberal e Aliança. Uma ocasião que Francisco Rodrigues dos Santos aproveitou para afirmar que a governação de esquerda “tem conduzido à estagnação económica e social” da região.

O último líder partidário a fazer campanha no distrito de Beja foi André Ventura, do Chega, que também é o candidato do partido à Assembleia Municipal de Moura. Na sua passagem por Beja, na manhã de quarta-feira, 22, Ventura pediu um resultado “expressivo” no concelho, afirmando que “a CDU é passado, o PS o mesmo de sempre e o Chega o futuro”.

Ainda à direita, o presidente do PSD acabou por não passar pelo distrito de Beja em tempo de campanha, depois de ter visitado o concelho de Ourique no final de agosto. Foi aí que Rui Rio disse acreditar na possibilidade do partido reconquistar a Câmara de Ourique, atualmente governada pelo PS, e de eleger um vereador em Beja.

Os dados estão lançados e as expetativas são mais que muitas. No domingo, 26, os eleitores decidirão o futuro que querem para os próximos quatro anos.

Aljustrel

Com o atual presidente da Câmara Municipal, o socialista Nelson Brito, de saída devido à lei da limitação da mandatos, a corrida à presidência da autarquia “mineira” tem quatro candidatos. O PS aposta no atual vice-presidente do município Carlos Teles, sendo Fernando Ruas o candidato da CDU. Vão igualmente a votos Ana Carvalhais (PSD/CDS-PP/PPM/Aliança) e Nicholas Almeida (Chega). Aljustrel tem 7.930 eleitores.

Almodôvar

Depois da larga maioria alcançada em 2017, o socialista António Bota é o favorito na corrida à presidência da Câmara de Almodôvar em 2021, tentando ser reeleito para um terceiro mandato. Como opositores terá António Sebastião (PSD), Vítor Jacinto (CDU) e Cristina Ferreira (BE). Estão recenseados neste concelho 6.167 eleitores.

Beja

A capital de distrito promete uma das mais animadas noites eleitorais em 2021. Num concelho onde nenhum presidente é reeleito desde 2001, o PS espera que Paulo Arsénio possa quebrar essa “tradição” e garantir um segundo mandato. A CDU ambiciona recandidatar a autarquia com Vítor Picado, enquanto a coligação PSD/CDS-PP/PPM/Aliança/IL tem a expetativa de chegar à vereação por intermédio de Nuno Palma Ferro. São ainda candidatos Gonçalo Monteiro (BE) e Pedro Pinto (Chega). Votam no concelho 28.777 eleitores.

Castro Verde

Em 2017 a Câmara de Castro Verde foi uma das conquistas mais simbólicas para o PS, a par da de Almada, e quatro anos depois o partido espera consolidar esse resultado com a recandidatura de António José Brito. São também candidatos à autarquia Fátima Silva (CDU), Lúcia Cunha (BE) e Luís Aragão (CDS-PP). Castro Verde tem 6.074 eleitores recenseados.

Mértola

A disputa eleitoral promete ser renhida em Mértola, onde o atual autarca, o socialista Jorge Rosa, não se rencandidata por estar a cumprir o terceiro mandato. Nesse sentido, o PS aposta no vice-presidente Mário Tomé para manter a maioria na autarquia, tendo este a concorrência de Luís Morais (CDU), Jorge Pulido Valente (movimento “Unidos por Mértola”), Teresa Sequeira (movimento “Cidadãos a Direito por Mértola”) e Paulo Santos (Chega). O concelho conta 5.853 eleitores. 

Odemira

São seis os candidatos à presidência da Câmara de Odemira, onde o atual autarca, o socialista José Alberto Guerreiro, não se recandidata devido à limitação de mandatos: Hélder Guerreiro (PS), Sara Ramos (CDU), Arménio Simão (PSD/CDS-PP), Pedro Gonçalves (BE), Pedro Pinto Leite (IL) e Rui Areias (Chega). O maior concelho do país conta com 20.351 eleitores inscritos em 2021.

Ourique

Marcelo Guerreiro volta a ser o candidato do PS à Câmara de Ourique, que os socialistas lideram desde 2005. Em 2021 terá a oposição de Gonçalo Valente (PSD), Joaquim Barbio (CDU) e Idalete Brito (Chega). Votam em Ourique 4.295 pessoas.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima