Autarcas e trabalhadores de freguesias manifestaram-se junto à Câmara de Beja

Autarcas e trabalhadores de freguesias manifestaram-se junto à Câmara de Beja

Autarcas e trabalhadores de juntas de freguesia de Beja manifestaram-se esta sexta-feira, 3, para exigir o pagamento de verbas relativas à delegação de competências, que o executivo socialista da Câmara alega não poder pagar, devido ao chumbo do orçamento.
A manifestação, em frente da Câmara de Beja, juntou cerca de 80 pessoas, entre eleitos e trabalhadores de nove juntas de freguesia do concelho, todas da CDU, que empunharam cartazes e entoaram palavras de ordem.
"A população merece consideração", "Não sejas caloteiro, paga o dinheiro" e "Pulido escuta, as freguesias estão em luta" foram alguns dos “recados” dos manifestantes.
O protesto, decidido numa deliberação aprovada por 14 das 18 juntas de freguesia do concelho – 11 CDU, duas PS e uma PSD -, serviu para exigir que a autarquia pague as verbas de Janeiro relativas aos protocolos de delegação de competências.
A deliberação, que já foi entregue ao presidente do Município, tinha sido aprovada numa reunião na semana passada, após a autarquia ter informado que "não pode efectuar pagamentos às freguesias" porque o orçamento municipal para este ano foi reprovado pela Assembleia Municipal.
Se a câmara não pagar as verbas, estão "em causa" os salários de trabalhadores e o cumprimento dos serviços inerentes às competências delegadas, alertou o presidente a Junta de Freguesia de Cabeça Gorda (CDU) e delegado distrital de Beja da Associação Nacional de Freguesias, Álvaro Nobre.
Em declarações à Agência Lusa, o presidente da Câmara de Beja, Jorge Pulido Valente, considerou a manifestação "uma iniciativa político-partidária da CDU" e que "não se justifica", porque já "esclareceu" o assunto, quando reuniu com alguns dos presidentes de junta na semana passada.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima