Autarca de Cuba contra eventual fecho das Finanças

Autarca de Cuba contra

O presidente da Câmara de Cuba repudia o eventual fecho das Finanças, alertando que a população será obrigada a fazer 20 quilómetros para tratar de assuntos fiscais.
"Repudio e estou contra o encerramento de qualquer serviço público" em Cuba, nomeadamente do serviço de Finanças, que é "importante", disse à Agência Lusa o comunista João Português.
Segundo o autarca, o eventual fecho do serviço de Finanças de Cuba irá causar "prejuízos" à população do concelho, a qual será "obrigada" a deslocar-se à capital de distrito, a cidade de Beja, situada a cerca de 20 quilómetros, para tratar de assuntos fiscais.
Uma situação que trará "prejuízos e inconvenientes" sobretudo aos idosos, que vivem com "baixas reformas" e "dependem de transportes públicos, que não são nada baratos, para se deslocarem", frisou.
João Português lamentou que o Ministério das Finanças ainda não tenha respondido ao pedido de esclarecimentos feito pela Câmara de Cuba, em Novembro de 2013, para saber se está previsto o fecho ou alguma reestruturação do serviço de Finanças de Cuba.
O autarca garantiu que o Município fará "todos os possíveis na defesa intransigente dos direitos da população do concelho e, no caso, da manutenção do serviço de Finanças".

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima