Auditoria externa à contas da Câmara de Vendas Novas

Auditoria externa à contas

O autarca de Vendas Novas, Luís Dias (PS), revela que está em curso, desde o início deste mês, uma auditoria externa às contas do Município, cuja dívida ronda os 6,5 milhões de euros.
A auditoria vai servir para que "não seja o novo executivo ou o anterior", mas sim "uma entidade externa e independente a dizer quais são os números [da dívida] no último mês antes da tomada de posse", afirma.
O autarca alentejano falava à Agência Lusa a propósito dos primeiros 100 dias à frente da Câmara de Vendas Novas, no distrito de Évora, que foi conquistada pelos socialistas à CDU nas eleições autárquicas de 2013.
"Queremos perceber se os 6,5 milhões de euros [de dívida] estão a ser corrigidos ou se, ainda assim, apesar das medidas de contenção, é necessário fazer mais para ter uma situação financeira dentro dos padrões normais", diz.
A par da auditoria externa, Luís Dias realça que a gestão socialista do Município iniciou também este mês "um conjunto de reuniões com a população" para prestar contas "de tudo aquilo que está a fazer, o que gasta e onde gasta".
"O dinheiro tem de ser muito bem gerido e justificado e não devemos às pessoas nada mais nada menos que uma justificação", defende.
O autarca socialista faz um "balanço positivo" dos primeiros 100 dias de mandato, destacando o trabalho feito pelo seu executivo para "pôr as contas em ordem" devido à "dívida muito elevada" da autarquia.
"Neste período, o dado mais importante a destacar foi o pagamento de facturas no total de 3,2 milhões de euros, que nos permitiu reduzir a dívida global da Câmara em mais de sete por cento", assinala.
Luís Dias adianta que houve uma redução de despesas em "comunicações, combustíveis e avenças" e um "aumento do controlo interno para não se assumirem mais compromissos, além daqueles que tinham verbas já garantidas".
Por outro lado, salienta que a Câmara decidiu ajudar as famílias com uma redução dos impostos municipais, aumentar o número de equipas de limpeza urbana e criar o Conselho Municipal de Juventude e a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens.
A isenção da Derrama, durante três anos, para as novas empresas que se instalem no concelho e que mantenham os postos de trabalho que vierem a criar foi outra das medidas do Município destacada pelo autarca alentejano.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima