Atraso no PAEL “asfixia” contas da Câmara de Ourique

Atraso no PAEL “asfixia”

A Câmara de Ourique vive em asfixia financeira, com um encargo mensal superior a 50 mil euros à banca, porque o empréstimo do Programa de Apoio à Economia Local (PAEL) está atrasado.
Para pagar dívidas a credores, a Câmara de Ourique, nalguns casos, recorreu a sessões de crédito, ou seja, transferiu algumas dívidas para bancos, aos quais tem vindo a pagar, explica à Agência Lusa o presidente da autarquia, Pedro do Carmo.
Somando todas as sessões de crédito, que "estão inscritas em dívida, porque o dinheiro ainda se deve", disse o autarca, a Câmara de Ourique tem "um encargo mensal de mais de 50 mil euros" à banca, o que "asfixia financeiramente" a autarquia, que "fica sem disponibilidade financeira para muito mais ao fim do mês".
Em 2012, a Câmara de Ourique candidatou-se ao PAEL para pedir um empréstimo de 2,5 milhões de euros ao Estado para pagar dívidas a fornecedores, mas a candidatura ainda não obteve o visto do Tribunal de Contas (TdC).
Segundo Pedro do Carmo, a candidatura foi aprovada e remetida para o TdC, que, "numa primeira análise, não deu o visto e devolveu o contrato para alguns esclarecimentos, nomeadamente sobre a maior parte da dívida, que é financeira", ou seja, corresponde a sessões de crédito e não a dívidas directas a fornecedores, e, por isso, não deverá poder ser incluída no PAEL.
Sem o empréstimo do PAEL, a Câmara de Ourique "tem vindo a fazer acordos de pagamento e vai dando resposta e, como o grosso a dívida está controlado, através de sessões de crédito, vai cumprindo as obrigações", explica, referindo que "a ideia de aderir ao programa era para a autarquia ter uma gestão de tesouraria muito mais fácil".

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Escola Mário Beirão reabre em Beja

A Escola Básica Mário Beirão, em Beja, reabre esta segunda-feira, 27, para os alunos dos ensinos pré-escolar e primeiro ciclo, depois que as inundações provocadas

Role para cima