Associação Arruaça corre o risco de acabar por falta de apoios

Associação Arruaça corre o risco de acabar por falta de apoios

A Associação Juvenil Arruaça, de Beja, apelou a apoios de entidades locais para continuar a intervenção social que desenvolve em dois bairros sociais da cidade, já que “corre o risco de acabar” por falta de financiamento.
“Apelamos a apoios de entidades locais e procuramos parceiros para garantir a estabilidade financeira necessária para assegurar a continuidade da intervenção social”, que começou em 2007 junto de crianças, jovens e adultos dos bairros Beja I e II, disse Ricardo Neves, da Arruaça.
A intervenção arrancou com o projecto “Escolhas Pró-Bairro”, que durou dois anos e foi financiado pelo programa “Escolhas”, promovido pela Presidência do Conselho de Ministros, e contou com a parceria da Câmara de Beja, Junta de Freguesia de Santiago Maior e Associação Juvenil Pagaia Sul.
Após o fim do “Escolhas Pró-Bairro”, a Arruaça, para continuar a intervenção, elaborou o projecto “Assoma-te”, que foi aprovado e financiado através do projecto “Direitos Humanos – Igualdade de Direitos. As organizações não governamentais pela promoção da cidadania e de novas oportunidades na comunidade”, no âmbito do Fundo ONG do Mecanismo Financeiro do Espaço Económico Europeu.
O “Assoma-te” e o respectivo financiamento começaram em Março de 2009 e terminam no fim deste mês.
A recandidatura ao fundo, “pelo menos, para já, não é possível” e, “se a Arruaça não conseguir em breve novos apoios e financiamentos, a intervenção social nos bairros corre o risco de acabar”, alertou Ricardo Neves.

<b>MAIS INFORMAÇÃO NA EDIÇÃO DE 25 DE FEVEREIRO DO "CORREIO ALENTEJO", AMANHÃ NAS BANCAS</b>

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima