Alqueva é “fundamental” para o regadio no Roxo

Alqueva é “fundamental”
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O presidente da Associação de Beneficiários do Roxo (ABRoxo) reconhece que “a ligação ao Alqueva foi fundamental” para a consolidação de diversas culturas regadas no perímetro do Roxo.
“Ninguém iria investir no Roxo se não tivesse a garantia de ter água todos os anos! E nós no Roxo estávamos com uma situação em que nuns anos tínhamos água, noutros anos não tínhamos… Mas neste momento, com a ligação ao Alqueva, podemos dizer que já não temos falta de água e que os agricultores poderão utilizá-la”, afiança António Parreira ao “CA”.
Na opinião desta responsável, o regadio alicerçado no Alqueva é mesmo “o grande motor de desenvolvimento da nossa agricultura” e à resposta que é precisa dar em termos de produção “face ao aumento da população futura”.
Ainda assim, António Parreira reconhece que o crescimento do regadio tem de ser feito de forma ordenada… e “bem orientada”.
E nesse âmbito, regressa à questão do preço da água: “Não podemos pôr um preço excessivamente alto na água, pois isso fará com que o preço dos alimentos seja bastante alto e não seja concorrencial. Para que o regadio não se transforme num ‘elefante-branco’ é preciso ter muito cuidado com esta situação”, conclui.

Opinião

Napoleão Mira

11 de Junho, 2021

DE OLHOS EM BICO (V)

Carlos Pinto

11 de Junho, 2021

Homenagem muito merecida!

Vitor Encarnação

28 de Maio, 2021

Nas esquinas da vida

Carlos Pinto

28 de Maio, 2021

Os alertas do bispo de beja

Napoleão Mira

14 de Maio, 2021

De olhos em bico (IV)

Carlos Pinto

14 de Maio, 2021

E depois das cercas sanitárias?

Anterior
Seguinte

EM DESTAQUE

ULTIMA HORA

Role para cima