Almodôvar quer ter mais empresas

Almodôvar quer

Almodôvar tem o caminho bem definido: quer apostar no empreendedorismo dos jovens para fortalecer a dinamização da economia do concelho nos próximos anos.
A garantia é dada pelo presidente da Câmara, António Bota, e foi debatida na passada semana, no seminário “Empreendedorismo e Iniciativa Privada”, que a autarquia organizou para juntar em debate a população desempregada, os jovens que procuram um primeiro emprego e os empreendedores.
“A estratégia de desenvolvimento económico passa pelo apoio ao empreendedorismo, para que os nossos jovens – e menos jovens – possam dar um passo em frente e o concelho não esteja dependente apenas de um grande empregador. A Câmara de Almodôvar (CMA) nunca teve, até ao momento, projectos de empreendedorismo para jovens e os jovens são o nosso futuro”, declara António Bota.
O autarca socialista assinala que alguns municípios “praticamente oferecem o terreno para captar investimento e investidores” e que a CMA tem-se mantido “um bocadinho neutra e não tem procurado encontrar soluções”.
Agora, o desafio é fazer mais nesse sentido. E a estratégia passa pela “força da juventude”! Bota garante que quer “motivar jovens com formação” e preparar um regulamento para fomentar o empreendedorismo, que irá contemplar “apoios financeiros que podem chegar aos 12 mil euros por parte do Município a projectos que sejam considerados viáveis”.
Por outro lado, acrescenta, será disponibilizado espaço físico para que os jovens empreendedores até aos 35 anos iniciem a sua actividade e aumentada a zona industrial “com preços mais acessíveis”.
“Queremos ainda conseguir abrir uma plataforma próxima da auto-estrada, para captar investimento que venha de fora. No espaço de oito a 10 anos, temos de ter esta plataforma em funcionamento. Não podemos ficar para trás relativamente a outros concelhos, porque captar investimento é muito difícil”, declara.
Tendo o plano de intervenção bem definido, António Bota anuncia que, numa primeira fase, a CMA vai começar a ceder espaços a empreendedores no Centro Coordenador de Transportes. A par disso, a autarquia está a negociar a aquisição de terreno para criar a plataforma logística e a estudar o financiamento da ideia com fundos comunitários.
“E depois, naturalmente, a diplomacia económica será feita com um projecto na mão, com condições de o mostrar aos empresários de camionagem, de armazenagem e distribuição de produtos, que precisam de um ponto intermédio entre Lisboa e o Algarve”, explica o autarca almodovarense.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima