Aljustrel tem maior amendoal da Europa

Aljustrel tem maior

Se neste Verão der por si a refrescar-se com um Magnum ou a saborear um bombom da marca Rafaello (passe a publicidade) pode bem estar a comer amêndoas alentejanas.
Tudo da Herdade do Xacafre, na freguesia de São João de Negrilhos, saíram no último ano perto de 194 toneladas de amêndoa para o mercado espanhol, quase tudo para ser utilizado na indústria alimentar.
“Fornecemos a Nestlé, a Unilever e a Ferrero Rocher. Aliás, a amêndoa de 100 dos nossos hectares vai exclusivamente para a Ferrero Rocher fazer os bombons Rafaello”, revela ao “CA” a engenheira agrícola Joana Pires, de 36 anos, responsável técnica por aquele que é o maior amendoal da Europa e onde trabalham em permanência quatro pessoas (a que se juntam mais três dezenas de trabalhadores na altura da colheita, entre Agosto e Outubro).
O projecto da Herdade do Xacafre arrancou em 2007, quando os 323 hectares foram adquiridos pelo espanhol Vicente Llópis, empresário da zona de Múrcia, onde tem uma fábrica de transformação de amêndoa, utilizada sobretudo na produção do famoso “torrão de Alicante”.
“Os donos da herdade tinham alguma dificuldade em encontrar terrenos e solos que se adaptassem a estas variedades e vieram para Portugal à procura de água e solo”, lembra Joana Pires.
A opção acabou por recair em São João de Negrilhos devido à existência de água em abundância assim que a ligação de Alqueva ao Roxo estivesse concluída (o que aconteceu em 2009).
“O regadio é essencial, vital mesmo! Porque estas variedades não sobrevivem em sequeiro e o nosso clima é o mais adaptado que há para elas”, argumenta a engenheira agrícola.
Um ano depois da aquisição da propriedade, começaram a ser plantadas as primeiras amendoeiras.
“É um amendoal intensivo, com 416 árvores por hectares num compasso de seis por quatro”, explica Joana Pires, adiantando que as variedades utilizadas são todas americanas e de casca mole, “dado poderem descascar-se à mão e serem mais fáceis de transformar na indústria alimentar”.
Contudo, a herdade conta também com oito hectares onde foram plantadas variedades espanholas de amêndoa de casca dura.
Um amendoal demora cerca de oito anos a entrar em “velocidade cruzeiro”, altura em que produz uma média de 3.500 quilos de amêndoas por hectare.
“No nosso caso só deverá chegar aos 2.500 quilos, porque os solos são bons mas não os ideais”, nota Joana Pires, adiantando que em 2012 a Herdade do Xacafre teve uma produção média de 600 quilos de amêndoa por hectare, num total de quase 194 toneladas.
“Foi um ano muito bom”, reconhece a engenheira agrícola, que espera uma quebra na produção em 2013.
“Este ano não será perfeito, pois houve falta de frio e choveu muito. Por isso, as produções não são as esperadas. É provável que a produção deste ano diminua um pouco… Temos zonas que estão muito bem, mas temos zonas que nem por isso”, justifica.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima