Alentejo quer ser destino turístico certificado

Alentejo quer ser destino

A Turismo do Alentejo quer transformar a região num dos primeiros destinos turísticos certificados do mundo, através de um projecto que vai dar os primeiros passos no próximo ano para atingir a certificação até 2020.
“Não existe, neste momento, qualquer destino turístico certificado. Há destinos que têm restaurantes ou outras valências certificados, mas nós queremos certificar o destino Alentejo no global”, assume à Agência Lusa o presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo, António Ceia da Silva.
A certificação e internacionalização do Alentejo enquanto destino turístico é uma das "grandes apostas" da entidade regional para concretizar até 2020, constando o arranque do processo do plano de actividades para 2014.
“No próximo ano, vamos criar os programas de certificação transversais e sectoriais e produzir os referenciais generalistas que, depois, se possam adaptar a cada uma das áreas que queremos ver certificadas”, revela.
Segundo Ceia da Silva, a certificação é incontornável para afirmar o Alentejo como um destino turístico de qualidade.
“Perante um turista cada vez mais exigente, culto e informado, que vai querer ter destinos com ‘selo de qualidade’, com certificação, o Alentejo tem este grande objectivo”, o qual vai exigir “um grande esforço” nos próximos anos, frisa.
O presidente da Turismo do Alentejo refere que a ideia é “certificar toda a cadeia de valor” na área turística, o que envolve “a restauração, o alojamento, os locais de interesse turístico ou a animação turística”.
“Queremos também, no próximo ano, sensibilizar os agentes de ensino e formação, porque este é um processo que tem que envolver universidades, o Turismo de Portugal e autoridades a nível regional, para que possamos qualificar o destino até 2020”, afirma.
Com este envolvimento mais alargado, a Turismo do Alentejo quer garantir que, por exemplo, “caso um museu precise de algumas obras para poder ser certificado, possa ter apoio no âmbito do próximo quadro comunitário”.
O Plano de Actividades para 2014 tem ainda outros três eixos de actuação, nomeadamente reforçar a identidade, trabalhar os produtos turísticos e promover a inovação no Alentejo e no Ribatejo.
“Vai ser um ano, por um lado, de consolidação, em que se vai finalizar a implementação do Plano Operacional de Turismo do Alentejo (POTA), e, por outro lado, de nova estruturação, através do avanço do Plano Estratégico 2014/20”, realça Ceia da Silva.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima