Aeródromo de Ponte de Sôr vai ter "campus" universitário

Aeródromo de Ponte de Sôr

A construção de um campus universitário no aeródromo de Ponte de Sôr vai arrancar até ao final do Verão, num investimento de 4,2 milhões de euros, revela à Agência Lusa o presidente do Município.
“As obras, provavelmente, terão início no final do Verão, com um prazo de conclusão de nove a dez meses. Portanto, tudo indica que a meio de 2015 tenhamos esta obra concluída”, diz Hugo Hilário.
Além da sede dos meios aéreos da Protecção Civil, o aeródromo de Ponte de Sôr alberga uma empresa de manutenção de aviões ultraleves, o Aeroclube de Portugal com a vertente dos planadores e uma empresa de componentes aeronáuticos.
Manifestando a esperança de transformar o aeródromo de Ponte de Sor, no distrito de Portalegre, num espaço “transversal” para o setor da aeronáutica, o autarca diz acreditar que, ao ser criado um campus universitário ligado ao sector do ensino superior e da investigação aeronáutica, poderá ser gerada uma maior “sustentabilidade” do espaço.
“Tendo uma ligação à vertente do ensino superior e à investigação no sector da aeronáutica dá uma sustentabilidade a este investimento [aeródromo] muito maior do que aquela que poderia ter sem esta componente”, diz.
O campus universitário vai ficar equipado com salas de aulas multidisciplinares e alojamento para os alunos (mais de 160 quartos), pretendendo o Município formar uma “tipologia” que sirva os propósitos de todas as entidades e empresas já sediadas no aeródromo, bem como das escolas superiores que pretendem instalar-se.
O Município está, actualmente, a formalizar “pelo menos” três protocolos com escolas superiores e universidades, prometendo revelar, em breve, as instituições que vão “abraçar” o projecto.
De acordo com Hugo Hilário, está também em cima da mesa a possibilidade de uma outra entidade de ensino superior desenvolver “alguma actividade” no campus universitário.
“Aquilo que está no nosso horizonte é que aquela infraestrutura possa gerar cada vez mais postos de trabalho que tão necessários são à nossa comunidade”, diz.
“O campus universitário será mais um passo em frente para a sustentabilidade e para desenvolvimento económico de todo este projecto que é o aeródromo”, sublinha.
Sem querer antecipar o número de postos de trabalho que o campus universitário possa vir a criar, Hugo Hilário considera que o aeródromo constitui um investimento “pesado”, cujo retorno só será visível “a médio-logo prazo”.
“Se o aeródromo há um ano atrás tinha lá a trabalhar 10 a 12 pessoas (postos de trabalho directos), neste momento a realidade mostra-nos 50 a 60 postos de trabalho, podendo dentro de pouco tempo esses números serem multiplicados”, acrescenta.
O aeródromo de Ponte de Sôr é considerado pelo autarca uma “alavanca robusta no desenvolvimento sustentando da economia” do concelho.
"É um investimento estruturante e diferenciador para toda aquela região alentejana", sublinha.
A empresa GAir possui também no local uma escola de pilotos e de manutenção de aeronaves, estando o Município a lançar, actualmente, um concurso para a criação de um ninho empresarial para dar resposta a empresas do sector da aeronáutica.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima