ACT detecta 162 trabalhadores ilegais no Baixo Alentejo

ACT detecta 162 trabalhadores

A Unidade Local do Litoral e Baixo Alentejo da ACT – Autoridade para as Condições do Trabalho identificou um total de 162 trabalhadores ilegais/não declarados no distrito de Beja.
Os trabalhadores foram identificados entre os dias 30 e 31 de Maio, em acções inspetivas conjuntas com o SEF e a GNR numa exploração de mirtilos, numa outra de pecuária e num pomar de laranjas.
Fonte da ACT adianta ao “CA” que na primeira intervenção realizada, numa exploração de mirtilos, os inspectores do trabalho identificaram 137 trabalhadores, dos quais 29 eram tailandeses e 118 nepaleses, ao serviço de dois prestadores de serviços.
“Relativamente aos trabalhadores tailandeses apurou-se que se encontravam na totalidade numa situação de cedência ilegal de mão-de-obra, dado que a empresa de trabalho temporário prestadora do serviço não possuía o respectivo alvará”, revela.
Já na exploração de pecuária, onde trabalhavam sete pessoas de várias nacionalidades, constatou-se que quatro estavam numa situação de não declarados.
Finalmente, na visita efetuada ao pomar, onde trabalhavam 21 trabalhadores de nacionalidade romena, os inspectores da ACT verificaram que se encontravam todos em situação de não declarados.
A ACT levantou os correspondentes autos de notícia, solicitou em alguns casos documentação necessária para cabal esclarecimento de determinadas situações e elaborou o apuramento de contribuições para a Segurança Social.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima