A taxa de execução do Programa InAlentejo mais do que duplicará este ano

A taxa de execução do Programa InAlentejo mais do que duplicará este ano

A taxa de execução do Programa Operacional do Alentejo, InAlentejo, mais do que duplicará este ano, passando dos cerca de 10 para 21 por cento, o que equivale a 183 milhões de euros de fundos comunitários.
Este foi um dos indicadores do InAlentejo divulgados em Évora, numa sessão em que foi apresentado um balanço deste programa operacional regional e reveladas as medidas da reprogramação que vai sofrer.
O presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Alentejo, João Cordovil, explicou que a taxa de execução do InAlentejo, que tem uma dotação global de 869 milhões de euros, se situava em “cerca de 21 por cento”, a 30 de Novembro.
“Iremos apurar mais algum valor significativo em Dezembro, o que quer dizer que mais do que duplicaremos a execução” do programa, em comparação com 2010, realçou o responsável.
Já a taxa de pagamento, também segundo dados de 30 de Novembro, rondava os 27 por cento, o que corresponde a 234,4 milhões de euros de apoios comunitários pagos.
Ainda que admitindo estes resultados como “insuficientes”, João Cordovil frisou que o programa está em aceleração desde 2010 [altura em que iniciou funções como presidente da CCDR], depois de três primeiros anos que foram “de lançamento”.
“O programa arrancou tardiamente e de forma lenta. No final de 2009, estávamos com três por cento de execução e, passado um ano, triplicámos essa taxa. Agora, temos 21 por cento”, lembrou, realçando: “Há uma aceleração nítida”.
Mas, para 2012, esta tendência tem de continuar a até intensificar-se, assegurou o presidente da CCDR, afirmando que, no próximo ano, o InAentejo tem de atingir “velocidade de cruzeiro, com maior nível de realização”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima