13 milhões em obras no concelho de Odemira

13 milhões em obras

O concelho de Odemira vai receber ao longo dos próximos cinco anos diversas obras, num montante global a rondar os 13 milhões de euros. As intervenções programadas são todas comparticipadas a 85% por fundos comunitários, através do Alentejo 2020 e de outros programas operacionais, e vão incidir em áreas tão distintas (mas complementares) como a regeneração urbana e mobilidade, educação e acção social, ou água e saneamento.
“Odemira está a preparar o futuro”, afiança ao “CA”, com notória satisfação, o presidente da Câmara Municipal, José Alberto Guerreiro.
Dos 13 milhões de euros de obras previstas para o concelho até 2020, cerca de seis milhões serão investidos no âmbito do PEDU – Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano, que engloba diversas intervenções no âmbito da regeneração urbana e da mobilidade.
No caso da regeneração urbana, o PEDU de Odemira inclui as obras da segunda fase de requalificação do centro de Vila Nova de Milfontes, já a decorrer, assim como a segunda fase de regeneração urbana na Zambujeira do Mar.
A estas juntam-se as requalificações da avenida Brás Pacheco (Milfontes) e dos núcleos antigos de São Teotónio, Colos, São Luís e Sabóia, e a remodelação do Mercado Municipal de Odemira, entre outras.
“O que se pretende é não só requalificar, mas também regenerar e dar vida económica e social a estes núcleos. E para isso temos, em complemento, o programa ‘Odemira Empreende’, que estimula a criação de emprego”, sublinha José Alberto Guerreiro.
Já no campo da mobilidade o PEDU de Odemira prevê a intervenção na marginal de Odemira (que já decorre) e na outra margem do Mira, entre a ponte rodoviária e as Barreiras Vermelhas (que arranca brevemente).
Depois haverá intervenções de melhoria geral no concelho, “para condicionar alguns acessos a algum tráfego mais pesado e criar condições para as pessoas de mobilidade condicionada”, acrescenta o autarca.

Mais obras
Além do PEDU, o concelho de Odemira vai também beneficiar de cinco milhões de investimento na área da educação e da acção social, ao abrigo do Pacto do Litoral Alentejano.
Segundo José Alberto Guerreiro, entre as acções programadas estão a construção do novo Centro Escolar de São Teotónio (avaliado em 1,5 milhões de euros e cujo concurso público será lançado em breve) e a renovação dos centros escolares de São Luís e de Longueira/Almograve.
O Pacto do Litoral Alentejano inclui também acções concertadas entre as cinco autarquias da região na área da melhoria da eficiência energética, estando a ser elaborado um plano intermunicipal para edifícios públicos e via pública.
E contará ainda com intervenções de cariz social, um plano de inclusão social para populações desfavorecidas e o outro para o combate à exclusão, insucesso e abandono escolar.
Paralelamente, a Câmara de Odemira vai submeter até final deste mês de Junho uma candidatura ao PO SEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.
Ao todo, a autarquia pretende realizar obras no valor de dois milhões de euros na renovação e construção de infra-estruturas de pequenos sistemas de águas e esgotos, nomeadamente nas localidades de Ribeira da Azenha (água e esgotos), Ribeira do Salto (esgotos), Aldeia das Amoreiras e Troviscais (novas estações de tratamento de águas residuais).

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima