Vila de Almodôvar revive Idade Média

Vila de Almodôvar

O fim-de-semana vai ser de bailias e folias, mercadores e mesteirais, cavaleiros e peões, damas e donzelas na vila de Almodôvar, que vai reviver os tempos da Idade Média.
A nona edição do Mercado Medieval de Almodôvar, organizada pela autarquia local, arranca esta sexta-feira, 3, e até domingo, 5, promete encher o centro histórico da vila de cor e animação, recriando o ano de 1285, altura da doação da Carta de Foral à localidade por D. Dinis.
O mercado abre oficialmente às 16h00 desta sexta-feira, 3, com a aferição de pesos e medidas dos tendeiros e a chegada dos contadores de histórias, podendo ouvir-se pregões nas bancas dos vendedores de sonhos e de ilusões ou ver autos e farsas.
Às 18h00 realizam-se provas de destreza, jogos de perícia e oficinas de artes e ofícios, seguindo-se comeres e beberes nas “tabernas e locandas do burgo” (20h00) e um espectáculo de malabares de fogo sobre a lenda das rosas (22h00).
No sábado, 4, o dia arranca às 12h00 com a abertura do mercado, altura em que os peregrinos de Santiago de Compostela são acolhidos pelos monges e há uma arruada de gaita-de-foles, tambores e timbalões. E pelas 15h00 realiza-se o cortejo régio pelas ruas do burgo, com a chegada de D. Dinis a Almodôvar vindo de Castelo de Vide, onde firmou os tratos para a boda real com a Infanta de Aragão.
Segue-se um torneio de armas a cavalo entre aragoneses e portugueses e o banquete régio (18h00), comeres da caça e beberes nas tabernas do mercado (20h00) e a representação em malabares de fogo da lenda do amor cortês (22h00).
O IX Mercado Medieval de Almodôvar termina domingo, 5, dia que começa de novo às 12h00 com a abertura do mercado, seguida da visita do meirinho e do homem da vara às bancas dos mercadores, enquanto decorre uma arruada de gaita-de-foles, tambores e timbalões pelas ruas do burgo, há bênção e oração devota, e os arautos anunciam as bodas da fidalguia aprazadas para a tarde.
A partir das 15h00 tem lugar o cortejo régio pelas ruas do burgo com a chegada da Infanta de Aragão, a que se segue a cerimónia “do esposamento” de D. Dinis com Dona Isabel de Aragão, a leitura dos dotes e arras pelo mordomo da boda e a confirmação do tabelião da Corte.
Às 18h00 começa a mostra de armas e um torneio a cavalo em preito de vassalagem a D. Dinis, assim como os jogos populares dos vilões em honra da rainha e a dança palaciana dos nubentes.
A fechar, há comeres e beberes “de antanho” nas tabernas do burgo (20h00) e o auto de encerramento da feira, com a “lavagem dos cestos e almotolias” (21h00).

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima