Valentina Balbina: miúda “ás do pedal”

Valentina Balbina:

O corpo franzino, de miúda aparentemente frágil, engana, pois em cima da bicicleta Valentina Balbina, de apenas 13 anos, é precisamente o contrário: as pernas ganham forças impensáveis e a pedalada sai forte, rolando a uma velocidade estonteante. Foi assim que esta jovem almodovarense brilhou ao mais alto nível no Encontro Nacional de Escolas de Ciclismo de 2018, que decorreu nos dias 14 e 15 de Julho em Almeirim, regressando a casa com a vitória na categoria de Juvenis Femininos.
“Pensava que ia ficar para aí em oitavo lugar, nunca em ganhar”, admite timidamente Valentina Balbina ao “CA”. “Foi a primeira prova que ganhei e estou muito orgulhosa”, acrescenta logo a seguir a atleta da SCAV – Escola de Ciclismo de Almodôvar, agora já a sorrir.
Numa prova que juntou mais de uma centena de atletas de todo o país, Valentina Balbina foi 40ª na classificação geral mas a primeira entre as raparigas, somando o tempo total de 51m15s29 (somatório do contra-relógio com a prova em linha). A segunda classificada, Ana Fernades (CAJ Raposa) ficou a quase um minuto de distância.
“Não foi uma prova fácil, mas também não foi difícil. Sentia-me bem, forte, e cheguei à meta com um colega de equipa, já muito adiantada em relação à segunda [classificada]”, recorda.
Nascida em terra de grande fervor (e tradição) pelo ciclismo, Valentina Balbina entrou para a modalidade quando tinha apenas 10 anos. “Gostava muito de andar de bicicleta e depois o meu tio Pedro [Barão], que é o meu treinador, disse-me que se ia formar uma escola de ciclismo e entrei”, conta, enquanto olha pela janela para os colegas de equipa, que vão trocando sorrisos ao ver a colega ser entrevista. E estás apaixonada pela modalidade?, questionamos logo de seguida. “Yahhh… Muito”, responde assertivamente.
A dedicação de Valentina ao ciclismo é imensa, à imagem dos profissionais. “Isto exige muito trabalho e muito esforço. Por isso treino quase todos os dias”, revela a jovem atleta, que tem no polaco Michal Kwiatkowski um dos seus ídolos. “E também gosto ‘bué’ do [Peter] Sagan”, acrescenta a jovem atleta, que, curiosamente, até não gosta muito de ver ciclismo na televisão. “Prefiro estar na estrada”, confidencia.
Acabada de passar para o oitavo ano de escolaridade, o presente de Valentina divide-se entre as salas de aula e a bicicleta. O futuro… se verá! “Nunca pensei muito nisso e não sei se vou levar o ciclismo mais a sério no futuro”, conclui.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima