Turismo do Alentejo quer candidatar jangadas de São Torpes a património da Unesco

Turismo do Alentejo quer candidatar jangadas de São Torpes a património da Unesco

A Turismo do Alentejo quer ver as tradicionais jangadas de São Torpes classificadas pela Unesco, assim como a arte chocalheira das Alcáçovas, os tapetes de Arraiolos, a tapeçaria de Portalegre e as Festas do Povo de Campo Maior.
O presidente da Turismo do Alentejo, António Ceia da Silva, lembrou à Agência Lusa que, em relação à região, já estão a decorrer os processos respeitantes às candidaturas do montado e do cante alentejano.
Mas, realçou, a par deste trabalho, a Turismo do Alentejo tem “um projecto mais vasto” para promover a candidatura de “um conjunto de bens imateriais” junto da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco).
“Consideramos que há determinados bens imateriais, uns em vias de extinção e outros com grande significado no contexto da região, que também merecem ser candidatados e classificados pela Unesco”, argumentou.
O projecto visa a salvaguarda da arte de fazer chocalhos característica das Alcáçovas (concelho de Viana do Alentejo); dos tapetes de Arraiolos e da tapeçaria de Portalegre; das Festas do Povo de Campo Maior, quando as ruas da vila ficam “engalanadas” com flores de papel; e das jangadas de São Torpes (concelho de Sines), embarcação que se supõe de origem fenícia e usada na pesca artesanal local.
Este trabalho vai incluir acordos de colaboração entre a Turismo do Alentejo e as câmaras municipais ou outras associações dos concelhos envolvidos, prevendo Ceia da Silva que os mesmos sejam todos assinados no espaço de “seis meses”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima