Somincor teve lucro de 110,6 milhões em 2017

Somincor teve lucro de

A Somincor fechou o exercício de 2017 com um lucro de 110,6 milhões de euros. Um montante que ficou bem acima dos 66,7 milhões de euros registados em 2016 e que o director financeiro da empresa concessionária da mina de Neves-Corvo, no concelho de Castro Verde, justifica com o aumento dos preços do minério nos mercados internacionais.
“Produzimos bastante abaixo do que tínhamos previsto e bastante abaixo relativamente ao ano anterior. E foi o preço que ajudou, senão tinha sido um ano complicado”, admite João Loja em declarações ao “CA”.
De acordo com relatório anual de 2017 da Lundin Mining, multinacional sueco-canadiana proprietária da Somincor, em 2017 saíram de Neves-Corvo um total de 33.624 toneladas de concentrado de cobre (menos 12.933 toneladas que em 2016) e 71.356 toneladas de zinco (mais 1.829 toneladas que no ano anterior). Em 2017 a Somincor produziu ainda 5.164 toneladas de chumbo e 1.292 toneladas de prata.
Esta produção permitiu à empresa de Neves-Corvo fechar o ano com quase 268 milhões de euros em vendas e um ganho operacional (total de vendas, menos custos operacionais e despesas gerais e administrativas) de 110,6 milhões de euros, bem acima dos 66,7 milhões de euros registados no ano anterior.
Entre as suas quatro minas espalhadas pelo mundo, a Lundin Mining registou em 2017 um total de vendas de cerca de 1,7 biliões de euros, cabendo a Neves-Corvo 16% desse valor. Um resultado assinalável, uma vez que acima da mina baixo-alentejana só mesmo a de Candelária, no Chile, responsável por 59% das vendas totais do grupo.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima