Somincor: Expansão do zinco é projecto PIN

Somincor: Expansão do zinco é projecto PIN

A Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), liderada por Luís Castro Henriques, atribuiu o estatuto de Projecto de Interesse Nacional (PIN) ao projecto de expansão do zinco da Somincor, que permitirá duplicar a produção do concentrado deste mineral na mina de Neves-Corvo, no concelho de Castro Verde.
O estatuto PIN foi atribuído ao projecto pela AICEP dada “a sua dimensão e potencial contribuição para a economia local e nacional”, revela a Lundin Mining no estudo de viabilidade do projecto, já concluído e divulgado recentemente pela multinacional sueco-canadiana, que é a proprietária da empresa mineira Somincor, concessionária de Neves-Corvo.
De acordo com o documento, a que o “CA” teve acesso, o projecto de expansão do zinco em Neves-Corvo representa um investimento de 256,5 milhões de euros, que deverá estar concluído no terceiro trimestre de 2019. A empresa espera receber “luz verde” da Agência Portuguesa do Ambiente para avançar durante o terceiro trimestre de 2017, para que no início de 2018 já possa começar com as obras à superfície.
“Prevê-se que tanto a construção subterrânea como a de superfície estejam concluídas até o terceiro trimestre de 2019 e que a ampliação da produção esteja concluída até o final desse ano”, acrescenta o relatório.
O projecto, que poderá criar 350 postos de trabalho durante a fase de construção e mais de 200 postos de trabalho efectivos quando estiver em operação, foi apresentado publicamente no passado mês de Abril e é considerado pela Lundin Mining como “muito importante”
"O projecto aumentará significativamente a produção de metais", afirma Paul Conibear, presidente e CEO da Lundin Mining, no relatório do estudo de viabilidade. E acrescenta: “Aumenta a competitividade da mina, para benefício dos nossos accionistas, funcionários e da economia local”.
Com a entrada em funcionamento deste projecto, a Lundin Mining estima que a produção anual de zinco em Neves-Corvo possa atingir uma média de 150 mil toneladas por ano entre 2020 e 2030, “juntamente com um aumento significativo na produção de chumbo”, que poderá chegar às 20 mil toneladas anuais.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima