Seca agrava-se na região do Campo Branco

Seca agrava-se na

Os agricultores do Campo Branco começam a desesperar com a falta de água para dar ao gado devido à falta de chuva, situação que se prolonga há “dois invernos e duas primaveras”.
Em reportagem publicada na edição de 7 de Outubro do “CA”, o agricultor Jacinto Mestre, de Castro Verde, é um dos que lamenta a falta de chuva, situação que faz com que a sua charca no Monte dos Calcinotes, “que todos os anos dava água para o gado", esteja actualmente seca.
Os mesmos problemas sentem os agricultores vizinhos, como é o caso de António Guerreiro, também de Castro Verde, que devido à falta de água teve de dividir o rebanho de 1.100 ovelhas por três montes.
Já Diamantino Rafael foi obrigado a vender as vacas que tinha, mas mesmo assim os três poços que possui não têm água para dar às suas 300 ovelhas. E António Lúcio tem de percorrer, dia sim dia não, seis quilómetros para ir buscar água numa cisterna móvel para dar de beber às suas 100 vacas.
Para o presidente da Associação de Agricultores do Campo Branco, a situação que se vive nos campos da região devido à seca é "bastante grave".
"Para repor o que falta de água, é preciso vir uma invernada daquelas que tudo tem de transbordar. Esperamos que ela venha, venha a água que vier, mas que venha rapidamente, porque só assim se pode ter alguma esperança", diz José da Luz Pereira.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima