São Teotónio recebe II Feira da Caça Maior

São Teotónio recebe

A Câmara de Odemira pretende vir a ter um “concelho de excelência” para a caça ao javali, veado e corço, como forma de promover o turismo fora dos meses de Verão.
No concelho do Litoral Alentejano têm sido caçados, em média, entre 1.000 e 1.500 javalis por ano, “cerca de um terço do que é abatido a nível nacional”, fazendo deste animal a “peça rainha” da caça na região, diz à Agência Lusa o vice-presidente do Município, Hélder Guerreiro.
A “aposta” da Câmara passa agora por aumentar a população de veados e reintroduzir o corço no território, que se encontra, segundo o autarca, praticamente todo organizado em reservas de caça, sobretudo associativas e municipais, mas também turísticas.
Já existem “alguns veados” no concelho, por via de um “repovoamento feito a partir do Algarve”, explica Hélder Guerreiro.
Quanto ao corço, a Câmara está a desenvolver um projecto, em parceria com a Universidade de Aveiro e o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), para reintroduzir, “com inteligência”, a espécie no concelho.
Há “um forte interesse pela caça” em Odemira, demonstrado pela existência de quase 80 associações ou entidades ligadas à actividade no concelho, sustenta o autarca.
De acordo com o vice-presidente do Município, cada caçada ao javali envolve entre 100 e 200 pessoas, mas “uma boa parte delas” acaba por deixar o local ao final do dia, fazendo com que a actividade turística ligada à caça seja “incipiente”.
No entanto, o autarca reconhece que “há aqui um grande potencial económico”, pelo que a autarquia tem estado a trabalhar, em conjunto com as associações do sector, para apontar “os holofotes” para Odemira.
A estratégia consiste em “conjugar” os recursos naturais do concelho, o investimento na povoação do território com os “melhores troféus” de caça maior, em detrimento de espécies como a lebre, o coelho ou a perdiz, e a oferta turística já existente.
“Pretendemos que as pessoas para cá venham, que fiquem durante algum tempo e que tragam a família, num período que não é a época alta”, realça Hélder Guerreiro.
Uma das iniciativas da Câmara para valorizar a actividade cinegética consiste na Feira da Caça Maior do Concelho de Odemira, que arranca esta sexta-feira, 30, para a sua segunda edição.
O certame, organizado em parceria com 10 associações de caçadores do concelho, decorre até domingo, 1 de Setembro, em São Teotónio, no recinto da Faceco, estando presentes cerca de 50 expositores de empresas e associações do sector.
Há ainda exposição de cães de matilha e de troféus, demonstrações de caça com cães de parar e de falcoaria/ cetraria, corrida de galgos, concurso de podengos, momentos de debate, gastronomia e animação musical.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima