S. Martinho das Amoreiras, “Capital da Viola Campaniça”

S. Martinho das Amoreiras

A freguesia de São Martinho das Amoreiras vai ser a “capital da viola campaniça e do cante de improviso”! Este é um dos pilares do novo Centro de Valorização da Viola Campaniça e do Cante de Improviso, projecto que a Câmara de Odemira está a dinamizar em parceria com a Junta de Freguesia de São Martinho das Amoreiras, a ADA – Associação para o Desenvolvimento de Amoreiras-Gare e a Casa do Povo de São Martinho das Amoreiras. Tudo com um simples propósito: salvaguardar e promover este importante património cultural do Baixo Alentejo, que tem larga tradição na zona serrana do concelho.
“A criação do Centro, com o objectivo de ser alargado progressivamente a outras freguesias do concelho de Odemira, visa o melhor conhecimento e preservação deste património, considerando que a memória dos sítios e das comunidades locais, assim como do seu legado cultural, apenas poderão ser verdadeiramente preservados se for valorizada e potenciada a diversidade e riqueza das suas manifestações”, sublinha ao “CA” a vereadora Deolinda Seno Luís.
Aprovado em reunião de Câmara no passado dia 2 de Fevereiro, o projecto pretende, além de afirmar a freguesia de São Martinho das Amoreiras “como a capital da viola campaniça e do cante de improviso”, potenciar a construção e o toque da viola campaniça e contribuir para a afirmação e crescimento consolidado do cante ao despique e ao baldão. Garantir a salvaguarda destas manifestações artísticas populares e dinamizar iniciativas locais e regionais que promovem estas tradições são outros dois pilares do projecto.
O Centro de Valorização da Viola Campaniça e do Cante de Improviso vai ficar inicialmente instalado na Casa do Povo de São Martinho das Amoreiras, sendo que a autarquia irá depois disponibilizar um espaço para a criação de um Núcleo Museológico, uma das mais importantes vertentes do projecto. Neste futuro espaço será recriado o ambiente natural do cante nas aldeias de interior, através da recuperação do conceito de taberna. Lá ficará também depositado todo espólio material e imaterial disponível associado à viola campaniça, ao cante ao despique e ao baldão e aos poetas populares do concelho.
Para já, o projecto do Centro de Valorização da Viola Campaniça e do Cante de Improviso representa um investimento de 20 mil euros, valor do apoio concedido pela Câmara de Odemira à ADA para o efeito. “Nos anos seguintes, o projecto será dotado de novas verbas em função do plano de actividades do Centro a definir para cada ano. A possibilidade de recurso a fundos comunitários não se exclui”, adianta Deolinda Seno Luís.
Para a vereadora, “este projecto municipal traduz uma política efetiva de apoio ao património musical do concelho e aos seus agentes musicais”. Este Centro junta-se “ao existente Programa de Apoio às Actividades Culturais e Recreativas do concelho de Odemira, garantindo a preservação e a promoção das tradições genuínas, contribuindo, a par da sociedade civil local, para a salvaguarda deste património cultural tão rico no nosso concelho”, conclui.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima