Restauração do teto pintado da Basílica de Castro Verde avança

A Fábrica da Igreja Paroquial da Freguesia de Castro Verde vai avançar com os trabalhos de restauração do teto pintado em madeira da nave da Basílica Real, que vão demorar cerca de ano e meio.

A empreitada, que resulta de uma parceria entre a Paróquia, a Câmara de Castro Verde e a Direção Regional de Cultura do Alentejo, será comparticipada em 85% por fundos comunitários, através do programa operacional regional Alentejo 2020.

Os restantes 15% do valor da empreitada, referentes à comparticipação nacional, serão assumidos pela empresa Somincor, que tem a concessão das minas de Neves-Corvo, ao abrigo da Lei do Mecenato.

A obra será consignada nesta terça-feira, 10, a uma empresa certificada de Viana do Castelo, numa cerimónia agendada para as 11h00 no Salão Nobre da Câmara Municipal de Castro Verde.

A iniciativa contará com a presença de representantes da Paróquia de Castro Verde e da empresa contratada, bem como do presidente da Câmara de Castro Verde, da diretora regional de Cultura do Alentejo e do responsável da relações institucionais da Somincor.

O restauro do teto pintado em madeira constitui a segunda fase das obras de requalificação da Basílica Real de Castro Verde, cuja primeira fase decorreu em 2019 e contemplou a limpeza manual do telhado, arranjo de portas e janelas, e pintura total do edifício.

O investimento foi superior a 65 mil euros, comparticipado pela Câmara de Castro Verde, pela União de Freguesias de Castro Verde e Casével e pelo programa BEM – Beneficiação de Equipamentos Municipais, criado pelo Governo.

Também já está concluída a terceira fase das obras, que consistiu na recuperação do coro alto e do nártex, num investimento superior a 50 mil euros.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima